Covid-19: Câmara de Proença atualiza número de casos no concelho

 Covid-19: Câmara de Proença atualiza número de casos no concelho

A Câmara Municipal de Proença-a-Nova acaba de fazer nova atualização de números de casos de Covid-19 no concelho. Segundo a autarquia “o concelho de Proença-a-Nova contabiliza, a 8 de fevereiro, 11 casos positivos de COVID-19 (dois deles internados em Castelo Branco), 44 pessoas em vigilância, 166 recuperados e um óbito.”

Recordar que segundo os dados avançadas ao início desta tarde pela Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) Proença-a-Nova contabilizava 19 casos ativos, 157 recuperados e 1 internamento.

No balanço que a autarquia acaba de enviar para a comunicação social, o presidente da Câmara Municipal João Lobo, refere que a diminuição do número de casos “não deve ser interpretado como sinal de que podemos aligeirar as medidas. Muito pelo contrário. Todos temos o dever de mantermos comportamentos responsáveis que não coloquem em risco o trabalho que tem sido feito até ao momento e a segurança do coletivo. É imperativo que o façamos mesmo pela condição de não se regredir e não se possibilitar novos surtos na comunidade”, refere João Lobo.

Ainda de acordo com a autarquia a GNR “tem reforçado a vigilância no concelho, principalmente no caso de incumprimento por parte de estabelecimentos comerciais, tendo alguns espaços sido já objeto de fiscalização.”

Reforço a que não haja incumprimento por parte de quem se viu obrigado, por força das medidas do Estado de Emergência, a fechar portas. Este tipo de comportamentos desviantes põe em perigo o coletivo e até a sua própria subsistência pois quanto mais rápido a crise de saúde pública estiver ultrapassada, mais depressa poderão abrir novamente ao público”

acrescenta João Lobo

Recordar que no passado dia 4 a GNR encerrou na localidade das Corgas um estabelecimento de restauração e bebidas com nove pessoas por incumprimento das normas COVID-19 (ver notícia aqui).

Apesar da diminuição de casos, Proença-a-Nova é ainda concelho de risco elevado com uma incidência cumulativa de 452 (de acordo com a Direção-Geral de Saúde, a incidência cumulativa corresponde ao quociente entre o número de novos casos confirmados nos 14 dias anteriores ao momento de análise e a população residente estimada). Neste caso, a análise foi realizada a 1 de fevereiro, refletindo a realidade entre 18 e 31 de janeiro.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter