Proença-a-Nova: Congresso que vai debater envelhecimento espera mais de 200 participantes

Proença-a-Nova: Congresso que vai debater envelhecimento espera mais de 200 participantes

O concelho de Proença-a-Nova vai receber entre os dias 25 e 27 de Novembro o Congresso Internacional que vai debater os novos paradigmas do envelhecimento.

A apresentação do Congresso aconteceu ontem, em conferência de imprensa, nos Paços do Concelho com a presença de João Lobo, presidente da Câmara Municipal, João Manso, vice-presidente, e Ernesto Candeias, da Associação Intervenção.

Para João Lobo, presidente da Câmara, que considera que o envelhecimento tem de ser encarado “de forma saudável” e que os idosos não são “nem nunca serão um problema” esta é uma questão que também pode ser vista “com objetividade de ser também uma potencialidade”.

Em Proença-a-Nova relativamente aquilo que nós traduzimos na aposta quer na Universidade Sénior, quer na ginástica sénior, é importante e é um fenómeno de atratividade também para este território. Não só para aqueles que chegando à idade da reforma encontram nas suas raízes espaços para retornar a estes territórios, mas também na condição de outros que chegam hoje até nós. E falo especificamente de população estrangeira, que encontram também nestas áreas a forma de acolhimento para aqui viverem em condições e terem condições diferenciadas.

afirmou João Lobo

Inicialmente marcado para 2020, o congresso foi adiado para este ano devido à pandemia de Covid-19 e João Manso, Vice-presidente da autarquia, garantiu todas as condições de segurança. Afirmando ainda que “temos algumas partes hoteleiras já preenchidas e temos alguma espectativa na restauração e portanto será um evento que trará muita gente”.

As pessoas devem estar cientes que vai ser um espaço seguro vamos ter todos os dispositivos de segurança requeridos e serão exigidos também quer a questão dos testes quer dos certificados de vacinação. Temos tudo para que este congresso seja um sucesso e dinamize Proença-a-Nova.

afirmou João Manso

Por parte da organização, e em representação da Associação Intervenção, Associação para a Promoção e Divulgação Cultural, Ernesto Candeias, informou que são esperados mais de 200 participantes, ao longo dos 3 dias, num congresso que conta também com mais de 30 conferencistas vindos de universidades europeias e outras instituições do ensino superior.

Temos que nos preparar para o futuro com as ajudas das tecnologias, mas é um paradigma que devemos estar atentos e devemos responder valorizando que o interior pode e deve ser uma zona de condições de bem-estar, bem apetrechada, com acessibilidades e estruturas que possa responder a quem possa vir.

considerou o membro da organização

Ernesto Candeias deixou ainda claro que o facto de se adiar o congresso e não o realizar online se deve “ao aspeto que permite que todos possamos refletir o envelhecimento no meio rural e urbano mas também de maneira a que possa haver divulgação de projetos de intervenções que possam também favorecer o desenvolvimento local e regional”.

A organização deste Congresso é uma parceria entre a Associação Intervenção, o Projeto CLDS-4G “Enraizar” e o Município de Proença-a-Nova.

Para si... Sugerimos também...

1 Comentário

  • Como médico de saúde publica aposentado no Pinhal interior Sul espero tirar proveito dedtr bem estruturado Congresso

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter