Proença-a-Nova: Bombeiros celebraram 74 anos de “vida por vida” (c/vídeo)

Proença-a-Nova: Bombeiros celebraram 74 anos de “vida por vida” (c/vídeo)

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova celebrou recentemente os seus 74 anos de existência. Dois anos depois o quartel voltou a abrir portas para acolher a sessão solene comemorativa de mais um aniversário. 

Numa analogia ao “Passado, Presente e Futuro”, Ricardo Araújo, Presidente da Associação, salientou que a sua direção “tem vindo a investir cada vez mais nos seus profissionais e nos seus voluntários”. 

 “É uma associação de Passado, Presente e Futuro. Passado que conta muitas histórias nos corredores deste edifício. É uma associação de Passado, Presente e Futuro (…) Um presente construído nos últimos dois anos e que foi um presente extremamente difícil. (…) Uma Associação de Passado, Presente e Futuro que permite que o presente hoje, que é o único dia que nós podemos fazer alguma coisa, nos permita construir um amanhã melhor para a nossa comunidade”

referiu o presidente da direção

É com os olhos nesse futuro que Ricardo Araújo salientou ainda o dever “de olhar para os bombeiros e para as associações humanitárias de forma diferente”.  

“O passado que nos trouxe até aqui foi um passado honroso, um passado de glória mas não é aquilo que nos vai levar para a frente. Hoje o associativismo vive um défice grande de participação democrática por parte das pessoas. Esta associação de presente e futuro diz-nos o contrário. Temos hoje um corpo ativo maior. Tivemos uma recruta no ano passado, temos uma segunda a começar este ano. Há dois anos tínhamos 17 operacionais hoje temos 37.”

deu a conhecer o Presidente da Direção

Recordando as dificuldades dos tempos da criação desta Associação Humanitária, Tiago Marques, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova, referiu que 74 anos volvidos “continua a haver obstáculos para fazer aquilo que sabemos fazer melhor e onde somos os melhores: a proteção de pessoas e bens”. 

“É urgente refletir o papel dos bombeiros na atual sociedade. Mas principalmente saber o que este governo pretende dos bombeiros portugueses. Toda a gente sabe que o sistema está esgotado. O atual sistema de controlo operacional dos bombeiros não corresponde à sua identidade. O estatuto do Bombeiro Voluntário está muito aquém do exigido.”

afirmou Tiago Marques 

Ciente dessa realidade, o comandante pediu ao vereador da autarquia presente que fosse “revisitado pelo executivo camarário” um documento por si entregue em 2018 com “propostas que visam um conjunto de regalias e apoios para aqueles que de uma forma altruísta e voluntária deixam as suas famílias para ajudar as famílias dos outros”. 

Presente na sessão esteve também Francisco Peraboa, comandante distrital de operações e socorro de Castelo Branco. Depois de referir que o futuro será “incerto e com muita incerteza naquilo que é a reestruturação dos comandos da Proteção Civil a nível nacional”, o comando distrital salientou que “o importante é perceber e ter a certeza que estão criadas as linhas mestras de coordenação para permitir ultrapassar as dificuldades que possam surgir”.

Também com os olhos no futuro está a Liga dos Bombeiros Portugueses que se fez representar pelo seu vice-presidente, Eduardo Correia. Além de trazer uma mensagem de união “em torno dos objetivos estratégicos da defesa dos bombeiros como um todo”, Eduardo Correia entregou à Associação de Proença-a-Nova uma medalha de agradecimento para marcar o empenho dos corpos de bombeiros na missão no período de covid-19. A medalha, adicionada ao estandarte, foi uma deliberação do conselho executivo a todas as entidades detentoras de corpos de bombeiros.

A fechar a sessão esteve o vereador da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, Ricardo Tavares. Bombeiro do quadro ativo durante 13 anos, o atual autarca não tem dúvidas que a Associação Humanitária dos Bombeiros “é mais que uma casa. Isto é uma escola de valores, de bons e verdadeiros valores”. O autarca aproveitou o momento para lembrar ainda a “parceria indissociável” entre câmara e bombeiros.

“Concretizamos a 3ª Equipa de Intervenção Permanente, musculando operativamente o corpo de bombeiros e possibilitar de forma continuada no tempo a prestação de socorro aos nossos concidadãos. Também, em articulação com a direção e comando, se encontra concluído o projeto de alteração das instalações desta casa, e que será objeto de candidatura para o financiamento no próximo quadro comunitário PT 2030”

salientou o autarca

A sessão solene contou ainda com a entrega de um certificado de reconhecimento e agradecimento ao casal Olga e Paulo Gaspar que ofereceram mais de 30 capacetes e 30 fatos de proteção. O prêmio de bombeiro do ano foi entregue ao sub-chefe Paulo Fernando Cardoso Alves. Já os galões de segundo comandante foram impostos a José Francisco, que devido à pandemia tomou posse sem nenhuma cerimônia oficial.

Para si... Sugerimos também...

1 Comentário

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter