O primeiro gigante da Terra que viveu no mar

O primeiro gigante da Terra que viveu no mar
António Piedade

O crânio de dois metros de uma espécie de ictiossauro gigante recentemente descoberta, a mais antiga conhecida até à data, está a lançar uma nova luz sobre o rápido crescimento e evolução dos répteis marinhos em dinossauros gigantes dos oceanos, e a ajudar-nos a compreender melhor a viagem dos cetáceos modernos (baleias e golfinhos) para se tornarem os maiores animais que alguma vez habitaram a Terra.

Esta descoberta foi publicada na prestigiada revista Science.

Enquanto os dinossauros governavam a terra, os ictiossauros e outros répteis aquáticos (que não eram explicitamente dinossauros) governavam as ondas, atingindo tamanhos e diversidade de espécies igualmente gigantescas. Com a evolução das barbatanas e das formas hidrodinâmicas do corpo vistas tanto nos peixes como nas baleias, os ictiossauros nadaram nos oceanos antigos durante quase toda a Era dos Dinossauros.

“Os Ictiossauros provêm de um grupo ainda desconhecido de répteis terrestres e respiravam ar”, diz o autor principal Dr. Martin Sander, paleontólogo da Universidade de Bona (Alemanha) e investigador associado do Instituto de Dinossauros do Museu de História Natural do Condado de Los Angeles (NHM). “Desde as primeiras descobertas de esqueletos no sul de Inglaterra e Alemanha há mais de 250 anos, estes ‘peixes-saúrios’ estiveram entre os primeiros grandes répteis fósseis conhecidos pela ciência, muito antes dos dinossauros, e capturaram a imaginação popular desde então”.

Escavado a partir de uma unidade rochosa designada por Fossil Hill Member situada nas montanhas Augusta do Nevada (EUA), o crânio bem preservado, juntamente com parte da espinha dorsal, ombro, e dedo indicador, datam do Triássico Médio (247,2-237 milhões de anos atrás), representando o primeiro caso de um ictiossauro a atingir proporções épicas. Tão grande como um cachalote com mais de 17 metros de comprimento, o recém-nomeado Cymbospondylus youngorum é o maior animal até agora descoberto desde esse período, em terra ou no mar. Na realidade, foi a primeira criatura gigante a habitar a Terra que conhecemos.

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 700 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de nove livros de divulgação de ciência, entre os quais se destacam “Íris Científica” (Mar da Palavra, 2005 – Plano Nacional de Leitura),”Caminhos de Ciência” com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011) e “Diálogos com Ciência” (Ed. Trinta por um Linha, 2019 – Plano Nacional de Leitura) prefaciado por Carlos Fiolhais. Organiza regularmente ciclos de palestras de divulgação científica, entre os quais, o já muito popular “Ciência às Seis”, no Rómulo Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra. Profere regularmente palestras de divulgação científica em escolas e outras instituições.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter