MEIO MILHAR DE PESSOAS APOIADAS AO LONGO DE SETE ANOS COM O PROJETO DE APOIO AO LUTO EM OLEIROS

MEIO MILHAR DE PESSOAS APOIADAS AO LONGO DE SETE ANOS COM O PROJETO DE APOIO AO LUTO EM OLEIROS

Há sete anos no terreno, o programa de Apoio ao Luto do Município de Oleiros já apoiou meio milhar de pessoas no concelho.

Iniciado em março de 2015, este projeto leva aos lugares mais remotos de Oleiros, uma psicóloga em direção a pessoas que se encontrem em processo de luto. Pioneiro a nível nacional aquando da sua criação, o Programa de Apoio ao Luto começou por ter 50 utentes em 2015. Atualmente, a psicóloga acompanha, com visitas ao domicílio e atendimentos no Gabinete de Ação Social Municipal, cerca de 120 de pessoas, algumas das quais a precisar agora de apoio após um período longo de isolamento social. “Estamos perante a pandemia da saúde mental derivada do Covid-19. As pessoas que não puderam despedir-se de vizinhos ou familiares que faleceram com este vírus. Outras que não veem filhos ou outros familiares devido ao afastamento. Outras ainda que se isolaram com medo da doença” explica Rafaela Lopes, psicóloga colaboradora do município neste projeto que arrancou com a Unidade Móvel de Saúde com apoio social e de saúde. Depressa as técnicas perceberam que apareciam pessoas com questões relacionadas com perdas de familiares recentes. O Município passou aí a intervir também na área do luto, inicialmente com meia centena de utentes.

Passados estes sete anos e com um confinamento obrigatório em 2020 e 2021, Rafaela Lopes diz que o projeto acabou por não se restringir à perda de vida humana, assim como outras perdas de condição de vida geradas pela pandemia mas também por outros acontecimentos traumáticos como doenças ou por exemplo os incêndios”. Existem pessoas que tem recursos para lidar com essa perda “outras não tem tantos recursos e aí pode ser necessária uma intervenção, porque viveram experiências mais traumáticas. Pode ser precisa ajuda para reativar os recursos pessoais que ela tem”. A sinalização dos casos é feita pelo Gabinete Municipal de Ação Social, Serviço Municipal de Proteção Civil, Juntas de Freguesias, pelo Programa Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS 4G), Centro de Saúde, Segurança Social, ou pela própria comunidade (vizinhos ou amigos).

O Presidente da Câmara de Oleiros lembra que quando delineou este projeto “foi a pensar sobretudo nas pessoas que vivem sozinhas, que facilmente entram em depressão do que se estiverem em companhia. O apoio psicológico ajuda a minorar a desgraça que lhes caiu em casa”. Fernando Jorge destaca que este “projeto foi pioneiro a nível nacional e está o município a fazer aquilo que considero que o Estado deveria fazer no país”.

Recorde-se que existem outras medidas de apoio social que estão no terreno no Concelho de Oleiros como o projeto “Cuidador”, composto por uma equipa multidisciplinar que para além de dar apoio aos cuidadores informais, integra, de forma permanente, uma cabeleireira/esteticista e uma ajudante, e uma técnica de geriatria.

Temos uma população envelhecida, muitas pessoas que vivem só e isoladas, é por elas que vale a pena estes projetos”.

Fernando Jorge

O Projeto de Apoio ao Luto de Oleiros recebeu vários prémios nacionais, como o de Município do Ano 2019 na categoria regional Centro atribuído pela Universidade do Minho através da plataforma UM-Cidades, o Prémio Boas Práticas em Psicologia – Administração Local – 2019 criado pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) e pela Câmara Municipal de Lisboa, entre outros.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter