Dicas para um Natal mais sustentável

Dicas para um Natal mais sustentável

Convido-vos nesta edição a trazerem para a mesa de Natal o ambiente e a sustentabilidade.

Talvez quando pensamos no Natal nos venha logo à mente a urgência de comprar os presentes e os alimentos para a ceia de Natal. Mas o Natal é ou não, muito mais do que o seu lado material?

O Natal realça a importância da família e da comunidade. Nesta altura do ano multiplicam-se as ações solidárias, e olhamos mais também por aqueles que têm menos que nós.

Paralelamente ao Natal, findamos um ano muito revelador de que as atitudes individuais são muito importantes no bem-estar coletivo, e de que, cada ação individual influencia grandemente a sociedade.

Assim, utilizando este paralelismo e trazendo estes conceitos para o tema do ambiente e sustentabilidade, gostaria de lembrar que a revolução ambiental não é possível sem a atitude e consciência de cada um de nós. A sustentabilidade não é possível, sem que tenhamos uma preocupação constante com o bem-estar coletivo das gerações atuais e futuras e sem assumirmos que a nossa forma de viver influencia diretamente aquilo em que o mundo se pode tornar.

Não nego de forma alguma que também seja premente a adoção de medidas sustentáveis e que visem a proteção do ambiente por parte das entidades públicas, sejam elas municipais ou centrais.

Mas porque é que estamos sempre à espera que as entidades governamentais tornem uma obrigação, aquilo que podemos fazer, já hoje, de livre vontade?

Para aqueles que conseguiram manter a leitura até aqui, obrigada e parabéns, demonstrar interesse já é um começo. Assim quero é deixar-vos algumas dicas de como tornar o vosso Natal mais sustentável:

– Recuse embrulhos a duplicar! Já vos aconteceu, na loja, embrulharem o presente que vão oferecer e ainda o colocarem num saco de papel? Recusem uma das coisas, é desnecessário.

– Evite embrulhos ou utilize formas de embrulhar que possam ser reutilizadas, como os sacos de papel! Se receber presentes embrulhados, abra-os tentando não danificar o papel ou saco para que os possa reutilizar!

– Atenção à recolha de azevinho, esta é uma espécie protegida por estar justamente em vias de extinção.

– Se puder evite recolher musgo. O musgo demora algum tempo a formar-se, e atualmente há até quem apanhe para vender. Muito dificilmente ele se vai repor à velocidade que o arrancamos. E para além disso o presépio com musgo não é uma reconstituição muito real das condições do local onde Jesus nasceu.

– Compre o necessário e não desperdice alimentos. Relembro que boa parte do planeta não vive nas condições que a maioria do mundo ocidentalizado vive e vai passar fome este Natal. Então por respeito a estas pessoas e ao ambiente, consuma de forma consciente, não desperdice!

– Utilize iluminação de Natal de forma consciente e sempre que ache oportuno apague-a. Que tal colocar um temporizador na tomada?

– Optar por luzes Led nas iluminações de Natal

– Utilizar pilhas recarregáveis nos brinquedos das crianças.

– Muitos de vós já devem ter a árvore de Natal montada, mas no que diz respeito a este item a reutilização é palavra de ordem. Sei que há pinheiros naturais que são doados que resultam de desbaste de áreas florestais e até aí tudo bem. No entanto comprar pinheiros é alimentar uma forma de desflorestação, tal como ir cortar pinheiros à floresta de forma indiscriminada. Lembrem-se que precisamos de árvores para captar o carbono presente na atmosfera, devemos preservá-las!

Deixo-vos com os votos sinceros de um Feliz Natal, consciente e o mais sustentável que puderem. Cá estarei na próxima edição desta jornada pelo ambiente, espero que os caros leitores também!

Margarida Ribeiro

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter