Dia 12 Junho: Imaculado Coração de Maria

 Dia 12 Junho: Imaculado Coração de Maria

Luísa Loureiro, Técnica de Análises Clínicas

A devoção ao Imaculado Coração de Maria é conhecida desde o século XVII, juntamente com a devoção ao Coração de Jesus.

Depois das Aparições de Nossa Senhora em Fátima, teve grande incremento. Os dois Corações, de Jesus e de Maria, são inseparáveis: onde está Um também está o Outro. Jesus é o Redentor da Humanidade e Maria, a Mãe Corredentora.

No dia 13 de Outubro de 1942, em plena Segunda Guerra mundial, o papa Pio XII, correspondendo ao desejo da Senhora manifestado em Fátima, consagrou o mundo ao seu Imaculado Coração.

———————————————————————————–

A minha oração a Maria

Em Maio fui a Fátima, fui concretizar propósitos, agradecer o meu sofrimento e o dom da vida no meio de tantas contrariedades.
Na Capelinha das Aparições contemplei a nossa Mãe do Céu. Só olhava.
Nas aparições, Nossa Senhora veio ao encontro dos seus filhos para os levar ao seu Filho, Jesus. Senhora, gosto de falar contigo.
Já encontraste fé em mim? Senhora, houve da minha parte pouca luta e até comodismo, mas o meu coração quer seguir-Te. Por isso estou aqui.
Recordei, “A Jesus sempre se vai e se “torna a ir” por Maria”Caminho, 495. É lindo este silêncio. Quando Te louvamos e proclamamos as Tuas maravilhas, a nossa voz torna – se canção e melodia.

É tão bom ler pausadamente as Tuas ladainhas, como mensagem doutrinal. Na primeira parte apareces tão próxima de Deus, na segunda parte és exímia em virtudes e na terceira parte és a Rainha de todos.
És Rainha dos que vivem a fé, porque soubeste transformar a tua vida em testemunho de Santidade; porque a Tua fé foi resposta brilhante aos dons de Deus. És uma esperança para nós e chegas até nós com a frescura e elegância da Tua perpétua juventude.
Pergunto – me, como Te honramos? Comecei a desfolhar o Caminho, parei no ponto 498 – “Todos os pecados da tua vida parecem ter-se posto de pé. Não desanimes. Pelo contrário, chama pela tua Mãe, Santa Maria, com fé e abandono de criança. Ela trará o sossego à tua alma.”

Identifiquei-me com este ponto. Não sei se consegui, mas há momentos da nossa vida que ao tornarmo-nos muito pequenos, temos um regaço maternal onde podemos chorar e refugiar-nos. Maria devolve-nos a paz e a confiança com a sua ternura.
Se imitarmos Maria participamos de algum modo na sua maternidade espiritual.
Maria é a Rainha da Paz.
Queremos paz interior. Mas onde estará ela? Procura a paz em ti mesmo. Mas por vezes foge-nos, esconde-se ou perde-se no horizonte.
Admira a firmeza de Santa Maria: ao pé da Cruz, com a maior dor humana – não há dor como a sua dor – cheia de fortaleza. – E pede-lhe dessa firmeza, para que saibas também estar junto da Cruz.Caminho, 508.
Jesus quis que nós tivéssemos a nossa Mãe.
Oxalá continuemos a encontrar em Ti força e ensinamentos para sermos portadores e testemunhas da nossa fé e confiança no Teu Filho.

Maria revela-nos o mistério da vocação e a descoberta do sentido da vida, o processo de convertermos em grandes as coisas pequenas, o vulgar em heroico.
Foi esta Senhora que nos trouxe Cristo. Como nos lembrou o Papa Francisco quando esteve em Fátima:
Temos Mãe!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter