Cortiçada Art Fest: Projeto instala duas novas obras de arte em Proença-a-Nova

 Cortiçada Art Fest: Projeto instala duas novas obras de arte em Proença-a-Nova

Obra “Farol dos Ventos”

A equipa dinamizadora do Cortiçada Art Fest, Festival de Experiências Artísticas na Paisagem, vai dar continuidade ao projeto com a instalação de mais duas obras de arte em Proença-a-Nova, foi hoje anunciado.

“Previstas para o verão de 2021, as obras ‘Menina dos Medos’ e ‘Magma Cellar’, são a âncora de um novo roteiro de arte na paisagem nas Linhas de Água”

explica, em comunicado enviado à agência Lusa, Marta Aguiar

Depois do “Farol dos Ventos” na Serra das Talhadas, as obras ‘Magma Cellar’ e a ‘Menina dos Medos’ “são obras criadas para lugares específicos das aldeias de Cunqueiros e Sobral Fernando, num processo de intensa comunicação com as comunidades que os habitam de forma que as intervenções fossem ao encontro das suas aspirações e contribuíssem para a valorização da identidade dos lugares”, refere a nota.

A ‘Menina dos Medos’ é uma obra figurativa em alumínio lacado a branco, colocado junto ao “escalão”, um penedo próximo das Portas de Almourão e da aldeia de Sobral Fernando.

Já ‘Magma Cellar’ é uma obra cónica de dois metros de altura revestida com peças de xisto piro-expandido e apoiada na ponte, lugar simbólico de encontro da aldeia (Cunqueiros) de casas e quelhas em xisto.

O Festival de Experiências Artísticas na Paisagem, promovido pelos municípios de Oleiros, Proença-a-Nova e Sertã e produzido em colaboração com o escritório de arquitetura MAG, tem como objetivo promover a interioridade, combater o despovoamento e dar nova vida aos três concelhos.

“No site Experimenta Paisagem (https://experimentapaisagem.pt), MAG-Marques de Aguiar apresenta as obras, as ações e a metodologia destes roteiros de arte na paisagem que têm como objetivo constituir-se como manifesto de mudança da paisagem do Pinhal Interior”, explicam as dinamizadoras do projeto.

O Cortiçada Art Fest é o projeto âncora que deu lugar a outros dois projetos, o Roteiro de Arte da Cortiçada e o Roteiro de Arte nas Linhas de Água.

*Lusa

2 Comentários

  • Porque nunca citam à aldeia do Chão do Galego quando se referem ao “Farol dos Ventos” pois a Buraca da Moura na serra das Talhadas onde se encontra a obra é um ícone daquela aldeia?

    • Olá Rui Gonçalves, faz sentido a observação.
      Ainda assim se verificar a notícia é da Agência Lusa (http://bit.ly/3044f3f), apenas foi replicada pela redacção.
      Podia ter havido maior cuidado, pela nossa proximidade com região? Sim, mas neste tipo de notícias há normas da própria “Lusa” cumprir.

      Ainda assim obrigado, fica a observação.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter