Proença-a-Nova: Via Ferrata da Serra das Talhadas pronta a ser explorada

Proença-a-Nova: Via Ferrata da Serra das Talhadas pronta a ser explorada

A Via Ferrata da Serra das Talhadas, a mais extensa de Portugal com cerca de 1400 metros de traçado, está pronta a ser explorada, depois de finalizadas as últimas sinalizações.

A Via inicia-se na Torre de Vigia, obra do arquiteto Álvaro Siza Vieira, pressupondo uma caminhada de 20 minutos, cerca de 800 metros, até ao local onde se encontra o primeiro sector, terminando no mesmo local.

De travessia, circular, esta ferrata é composta por 11 sectores, com uma ponte himalaia de 15 metros e uma ponte suspensa de 40 metros. Entre sectores existem trilhos assinalados, que devem ser respeitados, para segurança de todos e pela preservação do espaço natural.

revela a autarquia de Proença em nota enviada

O projeto adiado, devido à atual situação da pandemia, está agora ao acesso de todos.

Esta é uma iniciativa do Município cofinanciada pelo programa iNature através do Geopark Naturtejo.

Esta Via Ferrata, à imagem de tantas outras, caracteriza-se por se localizar em paredes rochosas de montanha, com a utilização de escadas, pontes, cavilhas e agrafos para facilitar a progressão, permitindo ainda desfrutar de zonas de escalada com segurança e menor dificuldade, uma vez que a paisagem é um dos pontos mais atrativos deste traçado, como refere José Santos, executor desta via.

A referida Via insere-se ainda dentro de um projeto de valorização desta área, incluída no Geopark Naturtejo da Meseta Meridional, no qual se pode observar toda a riqueza geológica da serra, zonas escavadas pelo Rio Ocreza ao longo dos anos e uma paisagem contando com a diversidade de fauna e flora, que acompanha toda a experiência.

Na nota enviada a autarquia faz questão de salientar que existe ainda uma série de cuidados a ter no momento de travessia da Via Ferrata.

Garantir a utilização de EPI (Equipamento de Proteção Individual), ter atenção às condições meteorológicas, não utilizar este equipamento com trovoadas ou períodos de risco de incêndio muito elevado ou máximo; nas secções horizontais apenas pode passar um utilizador; nas secções verticais deve-se deixar pelo menos uma secção de cabo livre entre diferentes utilizadores; na ponte himalaia apenas é permitida a passagem de um utilizador de cada vez e na ponte suspensa de dois utilizadores; deve ainda permanecer conectado ao cabo de aço de segurança até ao fim da Via Ferrata.

alerta a autarquia

Esta atividade não está isenta de perigos, podendo inclusive ocorrer acidentes graves ou até fatais. Desta forma o Município e a entidade instaladora advertem que a utilização do equipamento é da exclusiva responsabilidade de cada utilizador, bem como os danos que causarem a terceiros, estando disponíveis indicações complementares na página no Município e no local.

Para si... Sugerimos também...

Subscreva a nossa newsletter