Ultreia Diocesana do MCC

 Ultreia Diocesana do MCC

No passado dia 18 de março, pelas 21h, via ZOOM, realizou-se a Ultreia Diocesana Portalegre-Castelo Branco do M.C.C., dinamizada pelo respetivo Secretariado com mais de 80 participantes, incluindo cursilhistas das Dioceses de Coimbra, Santarém e Guarda.

O acolhimento foi feito pela Presidente do Secretariado dinamizador, Lucília Miguéns.

Após a Oração Inicial, conduzida por D. Antonino, Bispo desta Diocese, seguiram-se umas breves palavras do Pe. Adelino, Diretor Espiritual da mesma Diocese, que passou a apresentar o rolhista Pe. Doutor Jacinto Farias, que nos presenteou com um belíssimo rolho intitulado “S. José, o homem do Silêncio e da Fé”.

Deste rolho pode começar por se destacar algumas ideias, originárias do Papa Francisco, acerca de S. José: pai na obediência, pai no acolhimento, que sintetiza a experiência de fé e que tem um lugar importante na história da salvação.

O Pe. Doutor Jacinto Farias destacou quatro aspetos relevantes na figura de S. José. Um deles tem a ver com o adjetivo com o qual é apresentado no Evangelho – homem justo; outro aspeto o facto de ser apresentado como esposo de Maria; para além disso, também é apresentado como pai de Jesus e, por fim, como uma figura que emana ternura. Ainda em relação à figura de S. José como pai de Jesus, Pe. Doutor Jacinto Farias referiu que, como pai, S. José alimentou Jesus do ponto de vista físico, mas também no sentido educativo; ensinou-o na fé de Israel, na lei de Deus. E continua: Deus que é Deus, pensou num pai e numa mãe para Jesus…o plano de Encarnação foi pensado com um pai e uma mãe.

Tradicionalmente, S. José é descrito como um homem idoso a quem Maria foi confiada. Mas não é bem assim: José era um homem novo. E S. Jerónimo faz uma reflexão sobre a tradição de S. José: Nossa Senhora e S. José estão em paralelo, estão intimamente ligados. S. José é o homem do silêncio, o homem da obediência, o homem do acolhimento – interiorizando o mistério que estava a acontecer a ele próprio e a Maria, retirando-se em silêncio, à espera que Deus lhe revelasse o que estava a acontecer. E quatro vezes o Anjo aparece em sonhos a S. José. Há que refletir na sua atitude após estes encontros – S. José levanta-se e põe-se imediatamente a caminho – uma atitude de fé. “Levantar-se” é a experiência de fé.
Já na sua relação como esposo de Maria, segundo a Teologia Contemporânea e segundo S. Jerónimo, é o esposo castíssimo, intimamente ligado à virgindade de Maria. É o primeiro consagrado a Nossa Senhora. É o primeiro na linha de salvação que deixa tudo e segue a Mãe e o Menino. Temos a “Mãe” que representa a Igreja, “Jesus” como Deus e “S. José”, que tomando conta da Mãe e do Menino, protege a Igreja…é o nosso protetor. Também nas Aparições de Fátima (em Outubro), S. José aparece com o Menino Jesus ao colo – uma visão de proteção.

Pe. Doutor Jacinto Farias termina com um apelo: vivemos num mundo perigoso e S. José, como protetor da Igreja e de toda a Humanidade, é o nosso protetor; que tenhamos abertura para que essa proteção seja possível.

Após a apresentação do rolho foram feitas algumas ressonâncias, uma por cada Arciprestado, a saber: João Carlos, pelo Arciprestado de Abrantes, Edgar Vaz, pelo Arciprestado de Castelo Branco, João Galinha, pelo Arciprestado de Ponte de Sor, Luísa Dias, pelo Arciprestado de Portalegre e Maria Amélia, pelo Arciprestado da Sertã.

Jorge Santos, do Sec. Nacional, na sua intervenção, destacou o sentido ético e moral, a coragem criativa, a humildade, a generosidade, o desprendimento que S. José colocava em tudo o que fazia e que demonstrava a sua fé incondicional a Deus. Em tudo o que fazia, a ação prevalecia sobre a palavra – o seu silêncio permitia a escuta de Deus, pois Deus ouve-se no silêncio. S. José pôde assim tornar-se o “realizador de impossíveis”.

De seguida, o Pe. Adelino deu por terminada a Ultreia, tendo D. Antonino concluído com uma oração a S. José.

Imitemos S. José…façamos silêncio…Deus nos responderá às inquietações que colocarmos em Suas mãos.

S. José, rogai por nós.

Decolores

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter