Startup da UM atrai investimento de 10 milhões de euros

Startup da UM atrai investimento de 10 milhões de euros

A SilicoLife, empresa com origem na Universidade do Minho (UMinho), atraiu um investimento de cerca de 10 milhões de euros da BlueCrow, uma sociedade de capital de risco. O primeiro de dois investimentos concretizou-se na passada semana e ronda os 4,9 milhões de euros que servirão para potenciar o desenvolvimento de uma linha de tecnologias de produção de ingredientes para a indústria dos suplementos alimentares.

A SilicoLife combina Inteligência Artificial e Engenharia Biológica para a produção sustentável de variados ingredientes, utilizando fermentação de precisão aliada à engenharia de microrganismos. Com sede em Braga, esta startup da UMinho tem ainda laboratórios de investigação que estão situados no campus de Gualtar.

Com um forte historial na criação de soluções biológicas otimizadas com empresas líderes em diferentes setores, a SilicoLife tem apostado no desenho de microrganismos industriais para produzirem de forma rentável e sustentável os ingredientes e suplementos que fazem parte do nosso dia a dia. Estes microrganismos otimizados são utilizados em processos de fermentação, da mesma forma que se produz cerveja ou insulina 100% humana (produzida por microrganismos em biorreatores).

Simão Soares, CEO da SilicoLife e ex-aluno da UMinho, explicou que este investimento que está a ser feito na empresa “combina a reconhecida competência em I&D da SilicoLife com a capacidade financeira dos fundos geridos pela BlueCrow, para dimensionar uma empresa baseada no conhecimento”. Já a BlueCrow assume que “tem acompanhado o modelo de negócio da SilicoLife e entende estarem reunidas as condições para a equipa consolidar a experiência e conhecimento adquirido ao longo de vários anos e enfrentarem os próximos desafios, desenhando e criando soluções de enorme impacto.”

Para responder a esta nova etapa a SilicoLife já anunciou que irá brevemente anunciar oportunidades de emprego nas áreas de engenharia de software, biologia molecular e engenharia de estirpes e desenvolvimento de negócio, entre outras.

Sobre a SilicoLife

A spinoff do Centro de Engenharia Biológica nasceu em 2010 por recém-graduados em Bioinformática e professores de Informática e Engenharia Biológica da UMinho. Recebeu o “Prémio Atreve-te” como start-up do ano 2011, patrocinado pela Presidência da República, e teve distinções na revista “Wired” do Reino Unido e no Fórum Biochem, na Espanha. O Fórum Económico Mundial colocou-a em 2015 entre seis PME cujas parcerias com multinacionais poderão marcar o desenvolvimento da Europa. Em 2016 foi eleita a 15ª empresa mais promissora do mundo na bioeconomia, pela publicação “BiofuelsDigest”, uma das mais lidas na área. Esta startup de biotecnologia tem sede em Braga e trabalha apenas para mercados externos. Participa em vários projetos científicos e colabora com empresas multinacionais nos campos da química, do agroalimentar e dos materiais. Veja o site.

*Universidade do Minho

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter