Sertã: Protocolo quer transformar Atelier Túllio Victorino “num autêntico centro de cultura”

Sertã: Protocolo quer transformar Atelier Túllio Victorino “num autêntico centro de cultura”

Foi assinado no passado dia 16 de setembro, um protocolo de cooperação entre o Município da Sertã, a Sociedade Nacional de Belas Artes, o Centro de Investigação e de Estudos em Belas-Artes, a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa e a União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais para o desenvolvimento de um projeto de estudo, divulgação e valorização da vida e obra do pintor Túllio Victorino.

Para o presidente do Município da Sertã, Carlos Miranda, o pintor Túllio Victorino “deixou uma obra impressionante e que retratou como ninguém o modo de ser das gentes da nossa região”. Na sua intervenção, o autarca explicou ainda os contornos do protocolo e elencou os objetivos que dele decorrem, designadamente o estudo e a valorização da vida e obra do artista natural de Cernache do Bonjardim, bem como a dinamização futura do Atelier Túllio Victorino, “transformando-o num autêntico centro de cultura”.

“Este protocolo possibilitará a validação científica da obra de Túllio Victorino, pois estamos a colaborar com as instituições mais importantes do país no domínio das belas artes”.

afirmou ainda o autarca

Já Maria João Ribeiro, Presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, deixou palavras de esperança quanto “aos objetivos ambiciosos do projeto” e realçou “a importância do protocolo agora assinado envolver entidades de renome e que são uma garantia de sucesso”.

Invocando a figura de Túllio Victorino e recordando a sua ligação umbilical a Cernache do Bonjardim, a presidente da Junta insistiu na “ideia de que temos de trabalhar na valorização dos nossos vultos mais importantes”, transformando-os em referências para as novas gerações.

A terminar os discursos interveio ainda João Paulo Queirós, presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes, frisando “a relevância da obra de Túllio Victorino no movimento naturalista português e a influência que pintores como Silva Porto, José Malhoa ou Columbano Bordalo Pinheiro tiveram no seu modo de pintar e nos seus quadros”. João Paulo Queirós identificou as principais caraterísticas dos quadros de Túllio Victorino e notou “o interesse do pintor nos temas e nas gentes locais”, como se o artista “fosse o porta-voz de uma comunidade que se expressava através da sua obra”.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter