Receção e acolhimento de refugiados

Receção e acolhimento de refugiados

A Cáritas Diocesana de Portalegre – Castelo, organizou-se para trazer 53 refugiados da Ucrânia, a partir da fronteira da Roménia, por solicitação de uma família ucraniana residente no concelho de Portalegre.

Inscrevemos 25 famílias disponíveis para o acolhimento, contactámos a Câmara Municipal, a Santa Casa da Misericórdia e a Delegação de Portalegre da Cruz Vermelha Portuguesa, com o objetivo da angariação de verbas para o aluguer de um autocarro. A senhora Presidente da Câmara Municipal disponibilizou-se para acolher 28 pessoas, a senhora Provedora da Santa Casa da Misericórdia 18 e a Cáritas Diocesana através das 25 famílias inscritas. Considerando a verba avultada do custo dos autocarros, a Cáritas Diocesana, através do Serviço Jesuíta aos Refugiados conseguiu o transporte gratuito dos 53 refugiados. O Senhor Bispo disponibilizou a Casa Diocesana de Mem Soares, em Castelo de Vide, para o acolhimento e estada até à legalização dos refugiados e sua integração nas Instituições e famílias de acolhimento. A Delegação de Portalegre da Cruz Vermelha disponibilizou uma equipa de psicólogos para o acompanhamento psicossocial a realização de testes COVID e a refeição para a chegada dos refugiados a Mem Soares, o que aconteceu na passada segunda feira pelas 15 horas. Dos 53 refugiados, 24 seguiram para Lisboa e Porto, onde eram aguardados por familiares e 29 vieram para Portalegre. Nestes três dias, a seu pedido, 15 foram encaminhados para a casa de familiares que vieram ao seu encontro. 6 foram colocados em Estremoz numa empresa que lhes forneceu alojamento e emprego. Os restantes 7 continuam connosco na Casa Diocesana de Mem Soares, mas é sua intenção juntarem-se a amigos que estão em Portugal há mais tempo. Não foi necessário alojá-los nas instalações disponibilizadas, pelas razões expostas, para além da Casa Diocesana de Mem Soares. 

A Cáritas Diocesana congratula-se com o facto de termos proporcionado a saída do cenário de guerra existente nas suas terras e juntá-las, em Portugal, aos seus familiares. Não evocarei a situação psicológica em que chegaram a Portugal, porque em todo o momento as imagens perturbadoras entram nas nossas casas através da comunicação social.

Estamos gratos à Cruz Vermelha pelo esforço desenvolvido e da grande utilidade e disponibilidade, caso fosse necessário, de acolher alguns destes refugiados. Também à Câmara Municipal e Santa Casa da Misericórdia, pela disponibilização de alojamentos e às ucranianas residentes que fizeram a tradução, facilitando a comunicação.

Um agradecimento especial a todas as pessoas que nos confiaram donativos para o acolhimento, a duas empresas (Selenis e Evertis) e ao CAEP VOICES, que organizaram um espetáculo solidário, no CAEP, cedido pela Câmara Municipal.

Continuaremos a receber refugiados ucranianos, em parceria com a JSR – Serviço Jesuíta aos Refugiados, porque contamos com as nossas famílias de acolhimento, se for necessário ficarem no Distrito de Portalegre. Igualmente estamos disponíveis para acolher neste projeto as Instituições que se queiram associar à Cáritas Diocesana. É nossa opinião que não devemos disseminar esforços, antes congregar esses esforços para esta nobre causa, respeitando sempre a vontade das pessoas que vierem até nós. 

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter