Proença-a-Nova: Greve de professores não fecha escolas do concelho

Proença-a-Nova: Greve de professores não fecha escolas do concelho

A meia dúzia de docentes que aderiu à greve de professores, marcada para esta quarta-feira 2 de novembro, não foi o suficiente para fechar as escolas do concelho.

Segundo dados fornecidos, pelo Agrupamento de Escolas, ao Jornal de Proença, “dos 55 docentes que a esta hora deviam de estar a lecionar só 6 estão a fazer greve”. Ainda segundo o Agrupamento de Escolas houve duas turmas do 1º ciclo (1º e 3º ano) em que os alunos tiveram que regressar para casa.

Os professores cumprem hoje uma greve nacional em protesto contra a alegada falta de investimento do Governo na educação, que entendem estar exposta na proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2023.

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof), a Federação Nacional de Educação (FNE), o Sindicato Nacional e Democrático dos Professores (SINDEP), a Associação Sindical de Professores Licenciados (ASPL) e o Sindicato Nacional dos Professores Licenciados pelos Politécnicos e Universidades (SPLIU), entre outras plataformas que convocaram a greve, exigem a valorização da carreira docente, o combate à precariedade e a necessidade de promover o rejuvenescimento do setor.

Segundo a Federação Nacional de Educação, “os níveis de adesão estão muito próximos dos da greve anterior, ou seja, na ordem dos 90%. Há muitas escolas fechadas de norte a sul do país e outras estão abertas, mas não estão a decorrer aulas por falta de professores”.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter