“Porque é que ainda não vou à Missa todos os dias?”

“Porque é que ainda não vou à Missa todos os dias?”
Maria Viana Martins – Estudante de Enfermagem

Há uns dias, estava a regressar a casa e aconteceu passar por um ginásio. As janelas eram de vidro, eu sou uma pessoa curiosa, por isso detive-me, por alguns segundos, a observar o interior. O espaço estava cheio- uns levantavam pesos, outros corriam em passadeiras, outros pedalavam em bicicletas. Lembro-me que, na altura, sorri comigo mesma e pensei “O que as pessoas não fazem para ficar em forma…”. (Só um pequeno aparte para assegurar que não tenho absolutamente nada contra ginásios ou fazer desporto, antes pelo contrário!!!) Contudo, no resto do caminho para casa, não consegui deixar de pensar no assunto e lembro-me de chegar à conclusão de que gastamos uma boa fatia de tempo só a cuidar do nosso corpo: dormimos (espero que pelo menos) 7/8 horas, tomamos banho, lavamos os dentes, escovamos o cabelo, há quem tenha toda uma rotina de cara, fazemos 3 ou mais (se forem gulosos como eu) refeições…  Resumindo e baralhando: todos os dias dispensamos muitas horas para cuidar do nosso corpo.  E depois pensei (tenho a certeza de que mais por iluminação do Espírito Santo do que por obra e graça da minha inteligência): «Pois é… E quanto tempo do dia dedico para “cuidar” da minha alma?»

Devo dizer que não fiquei muito contente com a resposta que encontrei- na verdade, não fiquei nada contente… De tal maneira, que me pus a pensar no que poderia fazer para a mudar. Porque eu tinha de mudar- se a minha meta é a Santidade não devia estar mais empenhada em “ganhar o Céu”?  A solução veio ter comigo, numa tarde, em que estava a fazer oração com o livro Caminho de S. Josemaria Escrivá: ponto 87 – Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus, disse o Senhor. – Pão e palavra! – Hóstia e oração. Se não, não terás vida sobrenatural.

Hóstia e oração…. Fiquei a pensar. Oração já eu fazia um pouco todos os dias (com a ajuda dos “10 minutos com Jesus”, se me permitem a publicidade!); já a Hóstia é que não… Pensei na Missa de Domingo, a única a que eu assistia por semana. Será que não podia dar um bocadinho mais? Porque é que eu não ia à Missa todos os dias? Porque é que Nosso Senhor, que me ama e que me quer tanto, havia de ficar com os restos do meu dia?

Vale a pena pensar nisto e enfrentar a pergunta com seriedade: Porque é que ainda não vamos à Missa todos os dias? Diz o Catecismo da Igreja Católica que «o que o alimento material produz na nossa vida corporal, realiza-o a Comunhão, de modo admirável, na nossa vida espiritual». É um facto que precisamos desse encontro tão íntimo com Jesus, todos os dias – nada nos santifica, nada nos enche tanto de Deus como uma Comunhão. Já dizia S. Josemaria: “É Ele que te espera. Ficou para ti (…) escondido no Pão. Humilhou-se até esse extremo por amor de ti”. Como ficar indiferente a um amor tão grande? Como podemos recusar essa Graça imensa que é comungar? Alguém comentava que precisamos da “gasolina da Graça” para perseverar nessa luta quotidiana pela Santidade. Caso contrário, a nossa vida fica estacionada.

Nosso Senhor entregou-se completamente por nós. Deu tudo por nós. E só nos pede 30/40 minutos do nosso dia (no caso de a Missa ser semanal) para nos fazer tomar parte da Sua própria Vida.

Nossa Senhora (numa das suas aparições) dizia que “Uma Missa vale mais do que mil aparições”. E assim é. Nada nos aproxima tanto de Nosso Senhor como o sacramento da Eucaristia. Na Missa unimo-nos a Ele. Aliás, Cristo vive em nós e nós vivemos n’Ele: «Estou crucificado com Cristo- diz Paulo- já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive mim.»

Oxalá tenhamos tanto tempo para cuidar do corpo como da nossa alma!

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter