O Norte de Jesus

O Norte de Jesus
Padre Virgílio

Ter um rumo, ter um norte é condição para se viver com sentido e em paz.

Na última semana de Maio, o Concelho de Proença perdeu várias pessoas. As mais mediáticas foram as do Padre Américo Agostinho natural de Naves, freguesia de São Pedro do Esteval e do Doutor Gago, residente em Proença. Ainda que possa ser vivida com dramatismo, toda a morte é um momento natural dos seres vivos. Porém, que um padre morra ou um médico fique doente, é algo contraditório porque estes passam toda a sua vida a promover a vida espiritual e a vida biológica das pessoas. É aqui no “sem sentido”, que se coloca sempre a necessidade de buscar razões para a vida.

No Evangelho do 10º Domingo do Tempo Comum, Mc 3,20-35, Jesus, Deus, é acusado pela família que “está fora de si” e pelos escribas que “tem o diabo no corpo”. Verifico que, também com Jesus, quer a família quer os letrados do seu tempo, o criticavam pelo sua opção de fazer o que considerava bom, útil, necessário, urgente e divino.

Estas duas premissas levam-me a pensar que esta altura do ano 2021 é crucial para a sociedade e para a comunidade cristã. Os muitos alunos vão ter que escolher caminhos de formação; muitos pais e famílias, depois das férias, do teletrabalho e da pandemia minimizada pela vacinação vão ter outras, esperemos que novas, oportunidades; muitos professores, novas escolas; as empresas gerem moratórias, os ciclos pandémicos que vão e vêm, e as dificuldades/oportunidades; e as paróquias preparam novos anos pastorais com dinamismos novos marcados pelo covid; os políticos serram fileiras em atenção às eleições autárquicas… Considero que a ideia da morte que nos leva a assumir o carácter provisório da vida e a ideia de missão, podem ajudar a definir melhor as nossas opções.

Importa fazer memória de todos aqueles que marcam a nossa vida para que esse exemplo seja um desafio a que façamos o mesmo com os vindouros. Importa não ter medo de “estar fora de si” e de questionar os poderes religiosos, sociais, políticos, como Jesus o fez. O Norte de Jesus é “a vontade de Deus”, isto é, procurava estar conectado com o sentido último de todas as coisas, a que chama Deus, ABBA, paizinho. Desta convicção, nascia a vontade de transformar a vivência da fé, da sociedade, da vida das pessoas, principalmente, os mais esquecidos. O Norte de Jesus estava cheio do Amor de Deus que quer sempre a salvação do próprio e o bem comum em geral. O Norte de Jesus é activo, participativo, sem medo de errar, confiante que Deus não falha com Ele. O Norte de Jesus é que sejamos sua família numa casa comum a que chamamos planeta Terra na cidade do Universo.

O Norte de Jesus é uma proposta para que a minha vida tenha sentido e, no sentido, paz.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter