Sertã: ‘Maranho da Sertã’ classificado como produto de Indicação Geográfica Protegida na UE

Sertã: ‘Maranho da Sertã’ classificado como produto de Indicação Geográfica Protegida na UE

O ‘Maranho da Sertã’ foi hoje classificado como produto de Indicação Geográfica Protegida (IGP), estando o registo publicado no Jornal Oficial da União Europeia (UE).

O ‘Maranho da Sertã’, que integra os produtos à base de carne (aquecidos, salgados, fumados, etc.) é um ensacado feito a partir da bandouga (estômago de ovinos e caprinos) e que apresenta a forma de um estômago (em saco ou em C).

A sua aparência exterior é rugosa, sendo visível a textura alveolar da bandouga e no interior, quando cortado, sua aparência é irregular, sobressaindo as cores das carnes e da hortelã por entre pedaços de arroz.

O ‘Maranho da Sertã’ apresenta um sabor onde se evidencia a hortelã e, como ingrediente predominante, a carne caprina e/ou ovina, aligeiradas pelo presunto e chouriço.

A área geográfica de produção, preparação e acondicionamento do ‘Maranho da Sertã’ está circunscrita ao concelho da Sertã, tendo o primeiro registo escrito do produto sido feito em 1858.

A IGP é uma classificação da UE que realça a relação entre a região geográfica delimitada e o nome do produto sempre que uma qualidade específica, a reputação ou outra característica se deve essencialmente à sua origem geográfica.

Autarca da Sertã fala em “cimentar estatuto”

Carlos Miranda, Presidente da Câmara Municipal da Sertã, já reagiu a esta classificação afirmando que “a obtenção de Indicação Geográfica Protegida é o culminar de um trabalho desenvolvido ao longo dos últimos anos pelos empresários de restauração e charcutaria, pela AproSer – Associação de Produtores do Concelho da Sertã e pelo Município da Sertã”.

Esta protecção vem cimentar o estatuto do Maranho da Sertã, atestando a sua qualidade e autenticidade”.

refere em nota enviada

O autarca presta um “sentido reconhecimento em especial aos restaurantes por manterem, ao longo dos anos, o Maranho nas suas ementas, permitindo a sua divulgação”.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter