João Lobo espera “sair desta condição mais restrita” na próxima reavaliação

 João Lobo espera “sair desta condição mais restrita” na próxima reavaliação

Proença-a-Nova soma mais 9 casos positivos

A partir das 00h da próxima segunda-feira o concelho de Proença-a-Nova irá integrar a lista dos concelhos sujeitos a medidas extraordinárias de combate ao novo coronavírus.

Em declarações ao Jornal de Proença, o presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo, diz já esperar este desfecho pois o rácio definido ”já o tínhamos ultrapassado e facilmente se percebia que iríamos entrar nos concelhos com estas medidas mais restritas”.

O autarca que informou ainda da existência de 9 novos casos, nas últimas 24h, no concelho afirmou que as redes que fizeram o evoluir esta situação estão “definidas e portanto entraremos, durante a próxima semana, é pelo menos essa convicção que temos, já num declínio”.

O que eu espero sinceramente é que nestes 15 dias, vai haver muitos casos recuperados, e que na próxima reavaliação possamos sair desta condição mais restrita.”

João Lobo

João Lobo informou ainda que no concelho de Proença-a-Nova “testamos normalmente todas as terças e quintas e temos realizado em média entre 60/70 testes, ou seja 120/130 por semana.”

Das medidas aplicadas o Governo ordenou o encerramento do comércio e restauração às 13:00 nos dois próximos fins de semana e a abertura dos estabelecimentos só pode ocorrer a partir das 08:00. Nesse sentido João Lobo garantiu ainda que estão a ser preparadas “medidas de apoio para levarmos de proposta à câmara, para os sectores que são mais atingidos, em complemento também pelas medidas que já estão a ser conhecidas e transmitias por parte do governo.”

Sobre o levantamento de pelo menos duas coimas por parte da GNR no concelho de Proença-a-Nova, informação que chegou esta manhã à nossa redação, João Lobo apenas confirmou que “temos autos de contraordenação que foram levantados àquilo que é a atitude que não é preventiva e que é objeto de fiscalização pela força das autoridades.”

Subscreva a nossa newsletter