Inverdades sobre a Igreja Católica – 1 – Idade Média

Inverdades sobre a Igreja Católica – 1 – Idade Média

Nos tempos hodiernos, algumas ideologias procuram “apagar” a História, retirar a memória do passado e cortar as raízes da Humanidade.

O recurso a algumas inverdades, a distorção obstinada de certos factos históricos seduziu alguns historiadores, cineastas e escritores, levando-os a adentrarem-se sobre temas que passaram a suscitar curiosidade e procura.

Estas reconstruções livres, de alguns episódios históricos ou de algumas épocas, nomeadamente da Idade Média, foi frequente nos últimos séculos, por autores ateus, anti-clericais ou desconhecedores da verdade. Naturalmente a sua repetição, propaganda e manipulação chegou aos manuais escolares, campo fértil para se disseminarem ideias tendenciosas e reconstruir um passado que não existiu daquela forma.

Repor a Verdade, retirando a óptica depreciativa que foi criada, é o imperativo ético que subjaz a estas crónicas.

A Idade Média, período compreendido entre os séculos V e XV, não foi um tempo de trevas, de escuridão ou de ignorância. Pelo contrário, ao longo dos seus dez séculos deram-se acontecimento memoráveis como a formação de reinos na Europa, o seu desenvolvimento agrícula, cultural, artístico e espiritual. Abundaram os conhecimentos teóricos e práticos, o latim e o grego, a filosofia, a jurisprudência, a teologia, a matemática, a música, a física, a astronomia e muitos outros.

Não foi um tempo fácil, houve guerras, pestes, flagelos e tormentas, mas foi a época da construção das Catedrais*, da criação das Universidades, de grandes pensadores, como St. Agostinho, S. Tomás de Aquino, Roger bacon, S. Boaventura e de Duns Escoto, entre muitos outros.

O preconceito contra a Época Medieval terá surgido com o humanismo italiano e os renascentistas, que ao idealizarem e exaltarem a cultura clássica da Grécia e de Roma antigas, menosprezaram a cultura medieval. Não teria sido por hostilidade, mas por alguma incompreensão da “época das trevas”. Posteriormente foi-se intensificando esta ideia, explorada por autores anticatólicos, como Voltaire e mais tarde com os pensadores iluministas, racionalistas, positivistas e os movimentos totalitaristas do século XX.

A desconstrução destes falsos mitos, só será possivel, pela pesquiza nas fontes idoneas e crediveis.

*Vitral da Catedral de Notre Dame, em Paris, dedicada à Virgem Maria. Foi construída entre 1163 e 1245, uma das catedrais góticas mais antigas do mundo. Nela foi coroado Napoleão Bonaparte e beatificada Joana D’Arc . No dia 15 de Abril de 2019, a Catedral de Notre Dame sofreu um grande incêndio, o qual ainda permanece na nossa memória. 

*Enrique  Villanueva – historiador e investigador

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter