Fogo consome fábrica de Velas em Cardigos

 Fogo consome fábrica de Velas em Cardigos

Ao princípio da tarde  do dia 4 de Junho, deflagrou um incêndio nas ANTIGAS instalações da fábrica de velas CONDESTÁVEL em Cardigos, concelho de Mação.

O fogo consumiu a secção onde se encontrava armazenada alguma parafina e cera, assim como diverso equipamento utilizado em apicultura.

A fábrica VELAS CONDESTÁVEL prossegue a laboração normal. As novas instalações, localizadas na zona industrial de Cardigos, não foram afectadas nem sequer, aparentemente, as máquinas antigas utilizadas nos processos tradicionais de fabrico de velas sofreram danos para além da sujidade provocada pelo fumo.

Recordamos que o início do incêndio foi detectado pelo fundador da empresa, Sr. António Martins da Silva, e combatido por 38 homens e 13 viaturas de várias corporações de bombeiros da região. O combate durou cerca de duas horas durante as quais foi possível circunscrever o fogo ao armazém evitando a sua propagação a outras zonas das antigas instalações como a zona de trabalho, onde ainda permanece alguma maquinaria, nomeadamente a de fabrico tradicional de velas, e ao antigo lagar.

A origem do sinistro está a ser investigada. Não há vítimas pessoais a lamentar, mas os danos, ainda não contabilizados, elevam-se a vários milhares de euros em matéria-prima armazenada, equipamento e alfaias utilizadas em apicultura e, essencialmente, na estrutura, paredes e cobertura do edifício, segundo nos informou o sócio gerente André Flores, neto do fundador e actual responsável pelas VELAS CONDESTÁVEL que, no momento do sinistro, se encontrava em Braga em viagem de negócios.

O fundador da FÁBRICA DE VELAS CONDESTÁVEL, António Martins da Silva, de 88 anos, mostrou toda a sua fibra e motivação para continuar o seu trabalho.

*Fotos e texto de António Manuel M. Silva

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter