CLDS 4G da Sertã promove ação de formação de voluntariado

CLDS 4G da Sertã promove ação de formação de voluntariado

O CLDS 4G “Sertã Envolve” vai promover uma ação de formação de voluntariado em colaboração com as paróquias da Sertã e de Cernache do Bonjardim. Esta será realizada por uma entidade nacional na área do voluntariado, para capacitar, formar todas as pessoas maiores de 18 anos que residam no concelho da Sertã e que queiram vir a exercer ações de voluntariado ou que já exerçam. Todos os participantes terão direito a um certificado. Os temas a abordar serão: O que é o voluntariado? / Motivações e expectativas/ A história e as organizações/ Princípios do Voluntariado/ Direitos e Deveres dos voluntários.

A formação é gratuita e terá lugar no edifício da antiga escola primária da Abegoaria, na Sertã, com início às 14 horas, com duração aproximada de 3 horas, no dia 14 de janeiro de 2023. As inscrições poderão ser feitas no CLDS 4G Sertã Envolve; Paróquia da Sertã e de Cernache do Bonjardim.

Hoje, o voluntariado, como forma de cidadania ativa e participativa, vem tomando contornos, cada vez mais definidos de solidariedade da sociedade civil, que considera competir-lhe uma intervenção ativa, crítica e reguladora em determinadas situações existentes na sociedade. A ação cidadã voluntária tem vindo a diversificar-se, tornando-se sistematicamente mais exigente no sentido de mais qualificada, o que determina a necessidade da formação dos voluntários.

O voluntário tem direito a ter acesso a programas de formação inicial e contínua proporcionados pela entidade promotora de voluntariado. A formação inicial é essencial para que o voluntário adquira competências gerais, que lhe permitam compreender a especificidade das atividades de voluntariado, conhecer a lei que regula o seu exercício, o compromisso a assumir, o respeito pela vida das pessoas que apoia no que se refere à privacidade, intimidade e confidencialidade, o respeito pelas normas de funcionamento das organizações em que se integra, o conhecimento do programa do voluntariado, a quem se reporta no seu exercício diário e outras questões pertinentes, de acordo com a filosofia da entidade promotora do voluntariado a que aderiu. Mas o voluntário tem também de adquirir pela formação inicial competências específicas do domínio em que vai atuar, ex.: crianças, pessoas idosas, desporto, etc, de acordo com a sua motivação, aptidão e escolha. Mas a formação não se esgota, numa primeira abordagem. Ela irá continuar em sessões posteriores, de acordo com as necessidades de formação detetadas pela avaliação do desempenho do exercício do voluntariado, bem como pela evolução das situações com as quais o voluntário se confronta no desenvolvimento das atividades. Concluindo, não há exercício de voluntariado de qualidade, qualquer que seja o domínio de atuação do voluntário, se este não se dispuser a aprender continuamente conhecimentos de modo a proporcionarem a aquisição de competências necessárias a um adequado exercício do voluntariado.

É importante dizer que capacitar, formar as pessoas para qualquer área de atuação em que se proponham a participar é essencial para desenvolver a atividade de forma assertiva e adaptada. Qualquer profissional de qualquer área passou antes por uma especialização, um curso técnico ou pela universidade. Se a capacitação, formação para qualquer fim é tão valiosa, para o voluntariado isso não é diferente.

O voluntariado destina-se a ajudar os outros. Logo, o foco deve estar no benefício que os outros vão ter com as suas ações e o seu tempo. Mas, ao ajudar, vai constatar que para si será uma experiência gratificante e uma forma de realização pessoal.

O voluntariado é uma prática realizada no mundo todo e que atua diretamente na formação da pessoa humana. Além de conhecer novas realidades e fazer o bem, o voluntário soma experiências que vão fazer toda diferença na vida pessoal e profissional.

O primeiro objetivo de todas as ações de voluntariado é ajudar os outros.

Existem inúmeras entidades onde pode fazer voluntariado, com diversas abrangências e diferentes objetivos. Mas, lembre-se, o importante é que vai estar a ajudar quem de facto precisa e para quem qualquer ajuda será bem-vinda. Outro aspeto a ter em conta é que os outros vão depender de si. Sim, se começar a fazer voluntariado tem de estar comprometido com a ação que decidiu abraçar. A partir desse momento, ao comprometer-se com os outros, estes vão depender de si. Não só quem está a tentar ajudar, mas também toda a equipa que vai integrar. O importante é que possa de facto cumprir e o que consegue fazer, isto é, o que realmente gosta.

Por último, a escolha da área de voluntariado que lhe interessa. A escolha da área de voluntariado prende-se com os seus gostos, mas não tem de estar ligada à sua área profissional. Se nada tiver a ver com as suas habilitações académicas, mostra que tem outros interesses. No voluntariado, o mais importante é que se sinta realizado e aumente a sua realização pessoal. Ser voluntário exige assumir um compromisso que o comprometa, de forma livre, mas responsável com a ação a desenvolver, de acordo com a sua motivação e a escolha do domínio de atuação escolhido.

Em suma, a formação inicial para voluntários será certamente um bom instrumento para quem exerce ou pretenda exercer voluntariado junto da comunidade local.

O Programa CLDS 4G é cofinanciado pelo POISE, Portugal 2020 e Fundo Social Europeu.

Informações adicionais: Sertã Envolve – CLDS 4G Antiga Escola Primária da Abegoaria, 1º esq. Rua da Abegoaria n.º 10 6100-601 Sertã 274 600 309
email  

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter