Cláudia André questiona Ministro do Ambiente e da Ação Climática

 Cláudia André questiona Ministro do Ambiente e da Ação Climática

O Orçamento do Estado para 2021 está a ser debatido na fase de especialidade e nesse sentido a deputada do PSD, eleita pelo círculo de Castelo Branco, Cláudia André, questionou esta segunda-feira, 2 de Novembro, o Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, na Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território.

No início da sua intervenção a parlamentar lembrou o projeto piloto “que se adaptava às dificuldades especificas do pinhal interior” do anterior Ministro Capoulas Santos, afirmando que o atual plano “não serve de todo a reflorestação da floresta do pinhal interior”. Nesse sentido Cláudia André quis saber “se foi possível que o plano de reorganização da paisagem para a Serra de Monchique, quando será possível e qual o montante por hectare por ano para os concelhos do pinhal interior?”

Sobre os 11 condomínios de aldeia anunciados pelo Ministro, projeto com 50 mil euros atribuído por aldeia, Cláudia André salientou o facto de cada concelho ter “seguramente entre 100 a 200 aldeias. Estamos a falar de uma aldeia de entre 100 a 200 aldeias que cada concelho tem”. Nesse sentido a deputada social-democrata quis saber o que pensa o Ministro sobre a “eficácia deste projeto que apenas ajuda uma aldeia em 100 a 200?” salientando que o montante “não serve de todo a floresta do pinhal interior”.

A deputada aproveitou a sua intervenção para questionar o Ministro sobre o problema da invasora Azolla nos rios Tejo e Ponsul “que atrofia completamente as águas e a vida destes rios”. Apresentando uma foto, datada de 2 de Novembro de 2020, do rio Tejo completamente coberto pela planta invasora Azolla,  a parlamentar quis saber o motivo do rio se apresentar daquela forma visto que o ministro e a APA “já disseram que iam resolver o problema”, querendo referir-se ao anuncio da APA em Abril e a uma das audições em que Cláudia André já tinha questionado sobre o mesmo tema.

Perguntas que ficaram sem resposta por parte do governante.

Subscreva a nossa newsletter