Bot identifica depressão no twitter

Bot identifica depressão no twitter

Uma equipa de investigadores das universidades de Brunel e de Leicester, ambas no Reino Unido, desenvolveram um novo algoritmo capaz de detetar depressão nos utilizadores do twitter, com grande precisão. Esta é a mais recente evolução tecnológica desta rede social.

De acordo com o que foi avançado pelos responsáveis da investigação, esta avaliação é feita através da análise de 38 variáveis de dados da rede social, tentando assim determinar o estado mental dos utilizadores das contas estudadas. Conteúdos dos tweets, horários das publicações e a lista de contatos são alguns dos critérios verificados pelo robot na sua aprendizagem.

A tecnologia exclui os utilizadores com menos de cinco publicações e utiliza um software de linguagem natural para identificar abreviações e corrigir erros de ortografia nos perfis restantes. Sendo também nesta sequência, considerados os 38 fatores distintos, como a presença de palavras positivas e negativas nos tweets, o uso de emojis e a quantidade de amigos e seguidores.

Testamos o algoritmo em dois grandes bancos de dados e comparamos nossos resultados com outras técnicas de deteção de depressão”

Diretor do Instituto de Futuros Digitais da Universidade de Brunel, Abdul Sadka

Este mecanismo recentemente criado superou as técnicas anteriores em termos de precisão de classificação, conforme o líder do estudo.

Outras formas de utilização…

Além de facilitar o diagnóstico precoce da depressão em utilizadores das redes sociais, inclusive do Facebook, o algoritmo criado pelos investigadores britânicos também pode ser utilizado para outras finalidades. Uma delas é a avaliação do estado mental de candidatos a ofertas de emprego.

Neste caso, o bot seria usado pelas empresas e pelos responsáveis pelo recrutamento para a triagem de candidatos, ao analisar as suas publicações no Twitter e outras plataformas. Podendo também ajudar em investigações criminais e outros trabalhos que necessitem da análise digital do perfil mental.

Salientar que esta solução alcançou uma precisão de 88,39% na deteção de utilizadores deprimidos no Twitter, resultado considerado “fantástico” por Abdul Sadka.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter