Tríduo Pascal: Igreja Católica inicia ciclo central do seu calendário

Tríduo Pascal: Igreja Católica inicia ciclo central do seu calendário

A Igreja Católica começa hoje a celebrar o Tríduo Pascal, ciclo central do calendário católico ligado à morte e ressurreição de Jesus Cristo, depois de dois anos marcados pelas limitações impostas pela pandemia.

A 28 de fevereiro, a CEP anunciou novas orientações para o culto e atividades pastorais, prevendo, entre outras medidas, a possibilidade de se realizar a tradicional visita pascal, suspensa desde 2020.

O texto pede “especial cuidado como o uso da máscara e a higienização” no  rito do lava-pés, desta Quinta-feira Santa.

“No rito de adoração da cruz na Sexta-feira Santa, deve omitir-se o beijo na cruz, substituindo-o pela genuflexão ou inclinação; pode-se retomar a visita pascal, omitindo-se o beijo à cruz”

refere o documento

Em 2021, a CEP tinha mantido a suspensão de procissões e outras manifestações populares da Semana Santa e Páscoa, entre elas o tradicional “compasso”; em 2020, por causa da pandemia, as celebrações não contaram com a participação da assembleia.

As orientações mantêm a recomendação de um “distanciamento responsável entre as pessoas” que não integrem o mesmo agregado familiar e do “uso de máscaras para todos”.

Os bispos determinam que a Comunhão deve continuar a ser ministrada apenas na mão dos fiéis e anunciam o regresso da saudação da paz (facultativa), através de “um sinal sem contacto físico”, por exemplo, uma vénia ou inclinação.

Esta quinta-feira começa com a Missa Crismal, a celebração em que o clero de cada diocese se reúne à volta do seu bispo. Nesta Eucaristia são abençoados os óleos dos catecúmenos e dos enfermos e consagrado o óleo do crisma, utilizados na celebração de vários sacramentos. Quanto à Missa vespertina da “Ceia do Senhor”, que evoca a instituição da Eucaristia e do sacerdócio, recordando a Última Ceia, omite-se o tradicional gesto do lava-pés.

No final da celebração, o Santíssimo Sacramento poderá ser levado, como se prevê no rito, para o lugar da reposição numa capela da igreja onde se possa fazer a adoração, “no respeito das normas para o tempo da pandemia”.

Simbolicamente, o altar da celebração é desnudado, como sinal do despojamento e sofrimento do Cristo, sendo sugerido ainda que se cubram as cruzes da Igreja com um véu de cor vermelha ou roxa.

Após a Missa, só volta a existir celebração da Eucaristia na Vigília Pascal, no final do próximo sábado.

O conjunto de celebrações que se desenrolam no chamado Tríduo Pascal remonta ao início do Cristianismo, seguindo as indicações deixadas pelos Evangelhos sobre estes acontecimentos.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter