Região: Beira Baixa quer mais turismo

Região: Beira Baixa quer mais turismo

Teve lugar no passado dia 16, na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, o colóquio “Conhecer melhor para investir bem no turismo da região da Beira Baixa”. O encontro ficou marcado pela apresentação dos resultados do inquérito anual sobre “o turismo na região centro: a perspetiva dos residentes”, contou com a participação dos presidentes de câmara da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa.

Segundo uma nota enviada pela autarquia, João Lobo, Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, defendeu que “o turismo de natureza é uma das principais apostas do Município de Proença-a-Nova para atrair turistas para o território e a rede de passeios pedestres, as praias fluviais e os desportos de aventura são apenas alguns dos argumentos de valorização do concelho que tem na Torre de Vigia da Serra das Talhadas, da autoria do Arquiteto Siza Vieira, uma das suas novidades mais recentes”.

“Há de facto um caminho grande a fazer relativamente à parte privada, para que possa usufruir dos produtos turísticos que os próprios municípios já consolidaram no território. Não querendo massificar, é importante também que os turistas não saiam defraudados na sua estadia”

reforçou o autarca que focou igualmente algumas das fragilidades do concelho, por exemplo o facto de a restauração nem sempre conseguir dar resposta ao fim de semana ou a ausência de operadores turísticos no concelho.

Na nota enviada a autarquia garante ainda que, em termos de promoção, “já é certo que o Município repetirá as presenças nas principais feiras de turismo de Portugal (BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa) e Espanha (FITUR – em Madrid)”.

Na ocasião foram ainda apresentados o Observatório do Turismo Sustentável do Centro de Portugal e os resultados do inquérito anual sobre “o turismo na região centro: a perspetiva dos residentes”.

Entre os 937 inquiridos, 64 residem na Beira Baixa e revelaram que, de uma forma genérica, consideram o turismo benéfico para toda a região, no seu reforço à economia e na valorização da cultura regional, entre outros aspetos. Não sendo uma região com forte pressão turística, comparando com outras geografias dentro da própria região de Turismo do Centro, o inquérito revelou que as pessoas querem mais turismo e mais turistas.

lê-se na nota enviada

De acordo com as mais recentes estatísticas sobre o sector publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística, em setembro de 2022 apenas as regiões do Alentejo e Centro viram as dormidas descer, quando comparadas com setembro de 2019, o último ano antes da pandemia (no caso da região centro a descida foi de 3,3%).

Durante o encerramento deste colóquio, João Lobo, como presidente da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, destacou como prioridades da região o trabalho em rede, a formação dos agentes e a busca de um turismo sustentável, “com condição de valor para estes territórios e para estas pessoas. Temos que ter sempre uma atenção especial para a valorização da pessoa, dos que cá estão e dos que nos visitam”, referiu.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter