Proença-a-Nova: Corgas e Malhadal recebem mais plantas

Proença-a-Nova: Corgas e Malhadal recebem mais plantas

Como já foi noticiado, a União de Freguesias Proença Peral aderiu ao projeto Condomínio de Aldeia, que consiste, como é sabido, em transformar uma área florestal de 100 de metros em redor da aldeia, em zona agrícola, com vista a servir de tampão ao avanço dos incêndios e proteger a localidade.

Desta forma no início deste ano, a União de Freguesias promoveu reuniões com os proprietários dos terrenos onde foi implementado o projeto de Condomínio de Aldeia, nas Corgas e Malhadal. Na altura, cada proprietário apontou que tipo de plantas pretendia, bem como a quantidade.

“Este processo passou por diversas fases, desde a empreitada de ripagem do terreno seguiu-se preciso lançar o concurso para aquisição de plantas. E, por fim, a entrega das mesmas, por parte da união de freguesias, aos proprietários, processo que só será concluído em Novembro”

afirma a União de Freguesias em nota enviada

Em Março passado tinha sido entregue a maior remessa de plantas nas duas aldeias, desde árvores de fruto e outras. Já este mês a freguesia “acabou de entregar mais uma remessa de plantas, em Malhadal e Corgas. A população recebeu cerca de 12 mil medronheiros. Em Março não foram entregues todas as plantas. Assim, as árvores já tinham sido compradas, mas só foram entregues agora por duas razões: na altura não havia disponível no mercado e o verão seco também não permitia a sua plantação”, afirma a União de Freguesias em nota enviada.

Na mesma nota é ainda possível ler que “em novembro próximo vai ser entregue a última tranche de plantas nestas duas localidades, desta vez sobreiros, amendoeiras e videiras. Também já estão compradas, mas só poderão ser entregues em Novembro, dado ser a altura ideal para irem para a terra”.

A união de Freguesias suportou o projeto Condomínio de Aldeias com 10 mil, 879 euros e 62 cêntimos(10.879.62 cêntimos). A aquisição das plantas ficou em 20 mil, 12 euros e 80 cêntimos(20.012.80 cêntimos). A lavoura, ripagem dos terrenos, importou em 40 mil, 866 euros e 82 cêntimos(40.866,82 cêntimos). Tudo perfaz uma despesa total de 60 mil, 879 euros e 32 cêntimos(60.879.32 cêntimos). Destes 60 mil euros, 50 mil chegaram do apoio do Fundo Ambiental. Ora, resta 10 mil, 879 euros e 62 cêntimos, que foi precisamente o encargo que a União de Freguesias teve.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter