Proença-a-Nova: Congresso é “ponto de viragem” no debate do envelhecimento

Proença-a-Nova: Congresso é “ponto de viragem” no debate do envelhecimento

Teve início esta manhã no auditório municipal de Proença-a-Nova o Congresso Internacional sobre Animação Sociocultural, Geriatria, Gerontologia e os novos paradigmas do envelhecimento.

A sessão de abertura contou com a presença de João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, que considerou que este congresso é um “ponto de viragem daquilo que é a abordagem a estes temas mas também a forma das instituições e do Estado, nas politicas publicas, olharem para estas questões”. O autarca abordou ainda o fator económico do ponto de vista destes territórios.

A economia social é muito importante, gera emprego, e há aqui também essa condição destes territórios tirarem proveito do ponto de vista da fixação de pessoas e da cadeia de valor e numa escala demográfica que temos são estes os territórios que têm a melhor condição para acolher estas infraestruturas.

salientou João Lobo

Sobre a ajuda das novas tecnologias na resolução destas questão, João Lobo, afirma que o interior também poderá dar o exemplo ao resto do país. “A teleassistência e telemedicina são hoje condições essenciais. Nós hoje conseguimos de forma eficaz, naquilo que são os domicílios, ter essa condição”.

Também Ernesto Candeias, da Comissão coordenadora do Congresso salientou a importância de “refletir o que é que podemos fazer, mas fazer diferente. O que é que poderemos dar de respostas. Uma resposta em que os passos serão diferentes, as medidas terão outra metodologia de ação e que os técnicos atuaram de uma outra forma”.

Padre Adelino Maia

A conferência inaugural foi preferida pelo Padre Lino Maia, Presidente da Conferência Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) que abordou a temática do direito a envelhecer com dignidade.

É preciso a aposta na educação e na saúde para acompanhar os mais velhos. Os mais velhos precisam de facto de cuidados, precisam de uma crescente integração na comunidade, ou melhor de não serem abandonados para lares, com atividades múltiplas até porque cada vez mais temos pessoas com mais capacidades interventivas na sociedade. E depois é preciso também uma grande aposta no acompanhamento à distancia das pessoas.

salientou o sacerdote

O padre Adelino Maia que defendeu que as pessoas “devem manter-se o quanto possível  na sua casa” diz que a grande aposta passa pelos serviços de apoio ao domicílio. Já quando assim não é possível é necessário “alguma requalificação dos lares. É mau no mesmo lar pormos pessoas com problemas de saúde muito diferentes. Torna a vida mais deprimente eu penso que temos que ter lares especializados para as várias situações”, afirmou.

O Congresso que está a decorrer em Proença-a-Nova até ao próximo sábado, 27 de Novembro, é uma parceria entre a Associação Intervenção, o Projeto CLDS-4G “Enraizar” e o Município de Proença-a-Nova.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter