Pescadores de homens

Pescadores de homens
Cláudia Neves, Business Analyst

Por muitas atualizações que a pen de música do nosso carro sofra, há alguns êxitos que são de uma permanência inquestionável e, um deles, é precisamente a música do Padre Zezinho, Amar como Jesus amou. A letra desta música, dos meus tempos do Grupo de Jovens, sempre me fez pensar em como seria viver uma vida à semelhança de Jesus. O desafio de agir como Jesus agiu sempre me pareceu maior do que a própria vontade. Como seria um mundo em que todas as nossas ações fossem antecedidas do pensamento e reflexão “como faria Jesus”? São Josemaria revelou-nos que a santidade pode ser conseguida através das trivialidades da vida, «(…) que me lembre de Ti, ao tratar das coisas do mundo» (Forja 1014). Mas este caminho para a santidade não pode ser feito de um mero desejo de “querer”, é preciso fazer, e mais do que fazer, fazer como Jesus fez, amar como Jesus amou, seguir os Seus passos. Mas como é difícil viver à Sua semelhança num mundo tão cheio de incitações ao egoísmo!

É neste caminho, com Ele a nosso lado, que podemos fazer o que nos compete, levar a Sua Palavra a quem a desconhece e alimentar as almas famintas de Verdade.

Como filhos de Deus, temos não só uma grande responsabilidade como um grande desafio. Temos sempre presente, a cada minuto das nossas vidas, o desafio de sermos Cristãos. Ser Cristão numa época em constante mudança e em que as trends não duram mais do que alguns momentos, é pôr à prova a nossa capacidade de nos reinventarmos a cada segundo para conseguirmos passar uma mensagem tão antiga quanto o início dos tempos, mas tão atual quanto o próprio instante. Também os Apóstolos tiveram que tomar uma decisão quando Jesus lhes disse: «Vem e segue-me», e eles seguiram-No. Se pensarmos bem a sua missão foi mais difícil do que a nossa, era inovadora, falavam de Alguém acusado e condenado, punham em causa os valores da época, abanavam o poder instituído. E nós? Seguimos Jesus imitando o exemplo dos Apóstolos ou adiamos a decisão colorindo-a de desculpas variadas? Não duvidemos nunca na hora de decidir em dar o exemplo, em partilhar a Palavra, em iluminar os cantos mais escuros. Tenhamos sempre presente as palavras de São Josemaria que nos encoraja, e nos alivia do peso da responsabilidade «(…) Para ti, que buscas tantas desculpas para não continuares essa tarefa (…) Não mo esqueças: o apostolado continua a fazê-lo Ele, através de cada um de nós» (Sulco 189).

E com isto penso como é fácil a nossa tarefa, somos meros veículos. Basicamente temos de “estar”, estar para os outros como Jesus e os Apóstolos que O seguiram estiveram. Se a «Verdade é inseparável da autêntica alegria» (Sulco 185), esforcemo-nos, então, para espalhar a Verdade e levar a felicidade aos outros, para tornar o mundo mais feliz e alegre, mais verdadeiro e mais próximo Dele. Dar Luz à Palavra é iluminar o mundo.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter