Investigação sobre reações dos jovens aos impactos da pandemia no turismo distinguida por editora científica internacional

Investigação sobre reações dos jovens aos impactos da pandemia no turismo distinguida por editora científica internacional

Uma investigação sobre o impacto da COVID-19 nos planos futuros e níveis de aceitação das restrições por parte das gerações mais jovens que Cláudia Seabra, docente da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC) e investigadora do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT), coordenou foi distinguida com um “Emerald Literati Award 2022” na categoria “Outstanding Paper”, pela editora científica Emerald, que detém mais de 300 revistas em várias áreas disciplinares. A editora distingue, todos os anos, trabalhos científicos excecionais, não apenas para os jornais e livros científicos que edita, mas também para o conhecimento de forma alargada.

O estudo “Restrictions’ acceptance and risk perception in a COVID-19 context by young generations”, publicado na revista científica International Journal of Tourism Cities, foi coordenado pela investigadora da Universidade de Coimbra (UC) e juntou investigadores de cinco países: Portugal, Egipto, Turquia, Paquistão e Reino Unido.

O objetivo central deste trabalho passou por perceber como é que as gerações mais novas aceitaram as imposições e medidas implementadas na sequência da pandemia e o impacto que estas tiveram na sua perceção de segurança no quotidiano e em contextos de viagem em três mercados turísticos recetores: Portugal, Egipto e Turquia. A investigação permitiu concluir que «a pandemia de COVID-19 teve um forte impacto nas rotinas quotidianas e planos de viagens futuras dos jovens dos três países analisados, revelando que os jovens portugueses foram os que menos aceitaram as medidas restritivas impostas pelo governo», explica a investigadora. Neste estudo, foram inquiridos 348 jovens residentes nos três países.

O estudo permitiu ainda concluir que «existiu uma opinião unânime sobre a urgência de alteração das rotinas diárias e planos futuros de viagem dos jovens, tal como a crença de que cidadãos e turistas eram vítimas potenciais da doença. Contudo, os resultados provaram também que, ainda assim, os portugueses sentiram-se menos nervosos com a ameaça em comparação com turcos e egípcios», partilha a docente da FLUC.

Para Cláudia Seabra, esta distinção da Emerald demonstra «que a investigação que é feita na área do turismo na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e no Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território da UC tem tido grande relevância internacional, o que poderá posicionar a FLUC e o CEGOT nesta área de estudo». «Aliás, como foi recentemente destacado pelo ranking de Xangai, uma das áreas disciplinares em destaque na UC é precisamente Hospitality and Tourism Management, sendo um dos critérios desta avaliação o número de investigadores mais citados nas suas áreas. Significa isto que estamos no bom caminho. Para além da crescente investigação que se faz em turismo, o facto de ainda ser premiada pela prestigiada Emerald é, de facto, algo que muito nos orgulha e nos dá alento para querer fazer mais e melhor», destaca a investigadora da UC.

O artigo científico está disponível aqui.

*Universidade de Coimbra

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter