Autárquicas 2021: Jorge Cardoso diz ter programa “extenso e ambicioso mas exequível”

Autárquicas 2021: Jorge Cardoso diz ter programa “extenso e ambicioso mas exequível”

Jorge Cardoso é o candidato da coligação PSD/CDS à União de Freguesias de Proença-a-Nova e Peral. O candidato responde hoje às questões do Jornal de Proença.

Jornal de Proença (JP): Para quem não o conhece, quem é o Jorge Cardoso?

Jorge Cardoso (JC): Sem querer ser imodesto, penso que a grande maioria da população da Freguesia (e não só) me conhece, pelo meu constante compromisso com a causa pública, fosse como docente ou na coordenação do Ensino Recorrente, ou, ainda, como membro dos corpos sociais dos Bombeiros, vice-provedor da Santa Casa, fundador da Associação Desportiva e pelos diferentes cargos políticos, de que destaco os 28 anos como deputado na Assembleia Municipal e os cargos de Presidente da Junta de Freguesia, entre 2013 e 2017 e secretário no atual mandato. Menciono apenas aquelas que considero as atividades mais relevantes de entre as muitas que tenho desempenhado ao serviço da nossa terra e das nossas gentes. Estou aposentado e dedico-me à agricultura como passatempo e como forma de aliviar algumas das “agruras” do dia a dia.

JP: Por que razão decidiu avançar com esta candidatura?

JC: Decidi avançar porque entendo que a atual gestão da Junta de Freguesia não segue os parâmetros de um órgão que deveria, sempre, defender os interesses da população e estar ao serviço de toda a comunidade, com transparência, igualdade, respeito por todos e sem subserviências. Aqui, permito-me recordar, entre outras situações, o caso dos CTT que só não fecharam a loja em Proença, situação acordada entre a Câmara Municipal, e os meus colegas da Junta, porque me opus tenazmente e me recusei a assinar o contrato. Acresce que, ao longo destes quatro anos e não obstante o esforço que tenho feito, enquanto membro do atual executivo, as coisas nem sempre decorreram com transparência e legalidade e, muitas vezes, foi-me negado o direito de bem servir as pessoas.

JP: Quais são os principais pilares do seu programa para a União de Freguesias de Proença-a-Nova e Peral?

JC: Temos um extenso e ambicioso programa, mas perfeitamente exequível, para os próximos 4 anos. Propomo-nos executá-lo com toda a honestidade, rigor e transparência.
Esse programa assenta em diferentes pilares, a saber: Solidariedade Social e Saúde; Educação; Juventude e Desporto; Desenvolvimento Económico, Comércio e Turismo; Associativismo; Cultura e Património; Agricultura e Floresta. Seria exaustivo estar a detalhar, neste âmbito, todas as medidas que nos propomos executar. Na página da nossa candidatura poderão consultar, mais detalhadamente, essas propostas.

JP: Já sabe que será o próximo presidente da Junta de Freguesia, devido à recusa da lista do PS por parte do tribunal. Quais vão ser as suas primeiras medidas a tomar?

JC: Parece-me pouco democrático (um pouco abusivo, até) assumir-me, desde já, como o futuro presidente da Junta de Freguesia! Recordo que há outra lista concorrente para o mesmo órgão, pelo que, aguardarei com toda a serenidade e humildade os resultados das eleições do próximo dia 26.

Se for eleito, como espero, as primeiras medidas a tomar serão no sentido de ” arrumar a casa”, restabelecendo a normalidade do funcionamento daquele órgão.

JP: Que mensagem quer deixar à população da sua freguesia?

AC: Quero deixar uma mensagem de esperança e tranquilidade. Quem me conhece sabe que pode contar, sempre, com os meus préstimos e com o meu sentido de justiça. Os eleitos locais devem estar sempre ao serviço de quem os elegeu, com toda a lealdade. Comigo, não haverá encerramento de serviços às escondidas e haverá sempre transparência ao serviço da causa pública.

Deixo, também, uma palavra de muito apreço às funcionárias e funcionários, que, no dia a dia, dão a cara pela Junta, muitas vezes em condições adversas.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter