Aumento do preço do gás: vale a pena mudar para o mercado regulado?

Aumento do preço do gás: vale a pena mudar para o mercado regulado?

A guerra na Ucrânia tem agitado o mercado da energia, e por isso, as exorbitantes subidas da energia. As oscilações que o mercado tem sofrido, tem preocupado os consumidores, e por isso, o Governo que já tinha anunciado a subida dos preços do gás no mercado livre, apelou à celebração de um novo contrato no mercado regulado.

Como já tinha sido anunciado, no passado dia 1 de Outubro os preços do gás sofreram uma atualização que terá um forte impacto no orçamento familiar. A nível de valores, o aumento na EDP é de cerca de 0,20€ na EDP, enquanto que na Galp é cerca de 0,17€. No caso do mercado regulado, o valor que se paga pelo kWh de gás é de cerca de 0.06€.

A Selectra, uma consultora no mercado de energia, reuniu algumas dicas para saber como deve agir, e eventualmente, mudar o seu contrato de gás para uma das empresas existentes em Portugal.

Quando se deve mudar?

A entrada em vigor dos novos preços começou no dia 1 de Outubro, pelo que, se é cliente de uma destas empresas, deve confirmar se é vantajoso continuar com o seu contrato de gás, mudar para outra comercializadora do mercado livre ou mudar para o mercado regulado.

A diferença entre estes mercados, é que no primeiro cada empresa coloca o preço que quer, enquanto no segundo existem máximos e controlados para que se pague o mesmo em qualquer empresa.

Ainda não sabe qual é a sua empresa de gás do mercado regulado?

No site da ERSE, e na secção “CUR – Comercializadores de Último Recurso”. Terá um campo onde deve escrever o nome da sua localidade/concelho, e terá acesso aos contactos da empresa em questão. Saiba ainda que existem 11 distribuidores de gás natural em Portugal, e que variam de acordo com a região onde se encontre.

A alteração já pode ser feita, mas antes de proceder a esta alteração, deve fazer uma comparação do termo de energia (kilowatt/hora) e também do termo fixo. Se estes valores forem mais baixos que aqueles que estão na sua fatura, deve fazer a mudança assim que possível. Está previsto um aumento de cerca de 30 euros por mês na EDP e de 8 euros na Galp.

Mais se informa que a mudança pode demorar cerca de 3 semanas, não existindo nenhum tipo de corte de gás, pelo que o abastecimento é garantido. A isto, o Governo também comunicou que a mudança para o mercado regulado não engloba qualquer custo, nem implica que seja efetuada uma nova inspeção, que geralmente tem um custo aproximado de 50 euros e são feitas a cada 5 anos.

Existe alguma poupança para mudar para o mercado regulado?

Em primeiro lugar deve fazer a comparação dos preços da energia. No entanto, e segundo os valores, compensa fazer a mudança. A comparação é essencial para compreender se vale a pena ou não.

De acordo com o Governo, um casal com dois filhos, pode conseguir uma poupança de 10% na fatura do gás (no mercado regulado), já no mercado livre, este teve uma subida de quase 4% no início do mês.

Além disso, a mudança para o mercado regulado não implica qualquer tipo de fidelização, pelo que, a qualquer altura, o consumidor é livre de optar por outra empresa de gás, em qualquer um dos mercados.

As previsões apontam que o mercado regulado proporcionará aos consumidores de gás, uma redução de cerca de 33% em comparação com o mercado livre, e uma poupança aproximadamente de 60% em relação à maior comercializadora do país, e com maior quota de mercado, a EDP Comercial.

*Gonçalo Henriques dos Santos

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter