As nascentes dos rios

As nascentes dos rios
António M. Galopim de Carvalho (Geólogo)

É ideia geral e bem enraizada que os rios nascem num sítio bem definido. Eu soube-os, de cor, relativamente a todos os nossos rios, quatro em Espanha e as restantes em Portugal. Soube-as, assim, na minha 4ª classe (o 4º ano actual) e, ai de mim, se as não soubesse recitar, desde a do Minho à do Guadiana. A régua na mão do professor, lá estava à espera daqueles que não respeitassem a regra nesse tempo e a regra era saber tudo “na ponta da língua.” Porque, em minha opinião, qualquer rio, grande ou pequeno, não tem uma, mas sim um sem número de nascentes. Fui ver nos livros e na net o que se continua a dizer sobre este tema. No caso de alguns dos nossos rios, pode ler-se:

  • O Rio Minho nasce na Serra de Meira, em Espanha, na Galiza;
  • O Rio Lima nasce no monte Talariño, em Espanha;
  •  O Rio Douro nasce na Serra de Urbión, em Espanha;
  • O Rio Mondego nasce na Serra da Estrela, no sítio do Mondeguinho;
  • O Rio Tejo nasce na Serra de Albarracim, em Espanha;
  • O rio Sado nasce na Serra da Vigia (Ourique);
  • O Rio Guadiana nasce nas Lagoas de Rubiera, em Espanha.

Face a esta visão tradicional, estereotipada em gerações de livros, quanto a mim profundamente errada, o professor tem de explicar aos alunos que esta noção de nascente de um rio, é uma ideia vinda dos geógrafos e exploradores do passado, sem suporte científico. Trata-se de uma ideia convencional que nega a realidade. Nesta ideia, convencionou-se “colocar” a nascente do rio na mais afastada das inúmeras cabeceiras da respectiva rede hidrográfica. É aquela, podemos dizer, que “torna” o rio mais comprido. Na realidade, o rio recebe toda a água que cai na sua bacia hidrográfica. Esta água é toda a que escorre à superfície das vertentes (água de escorrência), a que corre canalizada no fundo dos vales de afluentes e subafluentes e, ainda, toda a que se infiltra no terreno da respectiva área que alimenta os aquíferos e brota aqui e ali em inúmeras nascentes.

Notas:

Rede hidrográfica – conjunto do rio mais os seus afluentes e subafluentes.

Bacia hidrográfica – área em que as águas precipitadas são conduzidas para uma rede hidrográfica, ou seja, a área total drenada por um rio e seus afluentes e subafluentes.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter