50 anos de Engenharia Química na Universidade de Coimbra

50 anos de Engenharia Química na Universidade de Coimbra

O Departamento de Engenharia Química (DEQ) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) vai promover um conjunto diversificado de iniciativas, nos próximos dias 12, 14 e 21 de setembro, para comemorar os 50 anos de Engenharia Química na Universidade de Coimbra (UC).

O evento que assinala a data de aniversário realiza-se no dia 12 de setembro e tem como tema “Do passado ao futuro”. Durante a manhã, após a sessão de abertura, às 9h15m, é inaugurada a “Linha do Tempo” do DEQ, que identifica os marcos mais decisivos do departamento, e descerrada a placa comemorativa dos 50 anos de Engenharia Química, com a presença do Reitor da UC, Amílcar Falcão.

No período da tarde, destaca-se o sucesso do DEQ no ensino e na ligação à indústria, com a participação do CEO da empresa The Navigator Company e de outros antigos alunos do curso de Engenharia Química. As comemorações do dia 12 terminam com uma mesa redonda sobre “O Futuro da Engenharia Química e a Transição para a Sustentabilidade”.

Já no dia 14, o evento vai ser dedicado à investigação do DEQ e parcerias com a indústria, tendo como protagonistas os cientistas do departamento e a PRODEQ, uma associação sem fins lucrativos que visa promover o estabelecimento de relações, parcerias e projetos do DEQ com o exterior. Ao longo do dia, vão ser apresentados vários projetos de investigação em curso. Por último, no dia 21 de setembro, as atividades, que se iniciam às 14h30m, são inteiramente dirigidas aos estudantes, destacando-se a receção aos estudantes do primeiro ano e a entrega de medalhas aos alunos que concluíram o Mestrado Integrado em Engenharia Química nos últimos dois anos

Criado em 1972, o Departamento de Engenharia Química da FCTUC sofreu grandes transformações ao longo dos tempos, como, por exemplo, a implementação do processo de Bolonha e posteriores alterações dos cursos, sensivelmente a cada 5-6 anos, para assegurar «aprendizagens de qualidade e adaptação à evolução da indústria e sociedade, tendo por base o feedback de docentes e a participação ativa dos estudantes e empregadores», afirma Luísa Durães, diretora do DEQ. Entretanto, com a criação do Centro de Investigação em Engenharia dos Processos Químicos e Produtos da Floresta, em 1994, «o ritmo da investigação passou a ser muito acelerado e muito relevante, especialmente na ligação com a indústria», acrescenta a responsável.

A Engenharia Química, prossegue, «é uma formação de “banda larga”, abrangendo as mais diversas áreas, quer ao nível dos processos químicos mais convencionais ou as de crescente relevância nos dias de hoje, como a biotecnologia, indústria 4.0, economia circular, sustentabilidade, etc., e, por isso, estamos a investir em novas ideias de cursos e na modernização da nossa formação em engenharia química».

No que respeita a desafios para o futuro, Luísa Durães entende que há desafios «gigantes no ambiente, na energia e na saúde, e nós temos de conseguir adaptar o nosso currículo a essas necessidades. Queremos que os nossos estudantes tenham espírito crítico e iniciativa empreendedora, com formação adaptada às necessidades atuais da sociedade e do planeta».

Em anexo, seguem os programas detalhados das comemorações.

*Cristina Pinto, Universidade de Coimbra• Faculdade de Ciências e Tecnologia

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter