Levantar e andar

Levantar e andar

Entramos, por estes dias, no tempo litúrgico do advento que nos predispõe espiritualmente para o Natal. A figura de Maria, Mãe de Jesus, pode-nos ajudar nesta caminhada em tempo de pandemia a cuidarmo-nos e a cuidar dos outros, a preocuparmo-nos com as suas necessidades e situações de emergência. Só assim haverá Natal. É tempo de partir, de sair do nosso conforto e segurança e lançarmo-nos na aventura de um mundo mais solidário e justo. Precisamos do apoio uns dos outros.

Por estes dias, muito se tem falado e escrito acerca das Jornadas Mundiais da Juventude 2023 que ocorrerão em Lisboa. O lema das JMJ 2023 inspira-se na passagem do Evangelho de S. Lucas: “Maria levantou-se e partiu apressadamente” (Lc 1,39).

Ao interpretar esta passagem bíblica interrogamo-nos porque é que Maria se levantou e partiu apressadamente? Que motivos a conduziram a esta tomada de decisão?

Descortinamos algumas motivações possíveis: Maria ficou inquieta com as palavras do Anjo; a sua prima Isabel, já no sexto mês de gravidez precisaria de ajuda e Maria ofereceu-se para acompanhar. Maria tinha pela frente 120 Kms de caminho pela serra, cerca de 3 a 4 dias de viagem a pé.

Esta decisão é tão importante que ela não quis adiar. Mas o que está verdadeiramente em jogo na sua decisão de partir para visitar a sua prima Isabel?

Está em jogo o seu “SIM” dado na anunciação quando dá o seu consentimento ao plano de Deus: “Eu sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” Este sim livre e comprometido motiva agora toda a sua vida. Na vida de Maria, Mãe de Jesus, tudo pode ser entendido á luz deste sim gravado como prioridade no seu coração. Podemos afirmar que na sua decisão está este grande “SIM”.

Também me questiono sobre as minhas/nossas motivações existenciais: Que me move na vida? Quais as minhas prioridades? Que decisões preciso tomar neste momento?…

Ao jeito de Maria, inspirando-me na sua decisão, coloco a minha vida nas mãos de Deus e ao seu serviço. Na situação em que a humanidade se encontra, acontece agora a Salvação de Deus. Esta história da Salvação interpela-me de forma concreta e a minha adesão é dada no concreto da minha vida.

Maria levanta-se e parte, pôs-se a caminho, apressadamente, porque Deus tinha entrado na sua vida. Maria é transformada pela visita de Deus. A consciência do impacto do amor de Deus na sua vida, leva-a à acção, não a deixa parada, nem indiferente aos acontecimentos. O biblista Koseph A. Fitzmyer comenta que esta decisão “é a sua reacção ao que o mensageiro celeste acaba de lhe comunicar”. O acolhimento do dom de Deus que lhe foi comunicado mexe com a sua vida, altera as suas rotinas, e Maria coloca no alvo da sua vida outras prioridades que a levam a uma vida plena, “cheia de graça”.

O sim de Maria é dinâmico. Pôr-se a caminho para visitar a sua prima Isabel prende-se com o facto de Maria ter sido primeiro visitada por Deus. Esta experiencia de amor e de fé marca a sua decisão de iniciar esta viagem e de se responsabilizar com o escutar e viver a Palavra de Deus.

Advento, Deus vem ao nosso encontro, levantemo-nos e… partimos! Deus surpreende-nos com a sua visita na história da nossa vida. O contacto com o Seu amor incondicional e misericordioso, a Boa Nova desse amor é a experiencia misteriosa que marca as nossas decisões e opções existenciais.

Deixa Deus entrar na tua casa…

P. Luís Manuel C. Bairrada

Para si... Sugerimos também...

Subscreva a nossa newsletter