Lançamentos orbitais em Dezembro de 2021

Lançamentos orbitais em Dezembro de 2021
Rui Barbosa, licenciado em Física Aplicada

Para Dezembro de 2021 estão previstos 15 lançamentos orbitais com datas já definidas, podendo chegar aos 15 lançamentos.

Devido ao embargo na divulgação de informação sobre as actividades espaciais chinesas imposta pelo governo da China, existe agora uma grande incerteza sobre os lançamentos orbitais daquele país.

O primeiro lançamento orbital de Dezembro de 2021 deverá ter lugar no dia 2, pelas 2257UTC, com o lançamento de um novo conjunto de satélites Starlink. A missão Starlink 4-3 colocará em órbita 53 satélites Starlink e será lançada pelo foguetão Falcon 9-130 (B1062.4) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral SFS, Florida. Desenvolvidos pela SpaceX, os satélites Starlink v1.0 têm uma massa de cerca de 260 kg e transportam uma carga de comunicações de banda Ku/Ka além de um sistema de comunicações óptico inter-satélite.

Juntamente com os satélites Starlink serão colocados em órbita dois satélites BlackSky. A constelação de satélites BlackSky é um conjunto de microsatelites da BlackSky para observação terrestre, com uma resolução de 1 metro.

Estes satélites possuem um sistema de imagens SpaceView-24 construído pela Exelis da Harris Corp com uma abertura de 24 cm. Conseguem imagens do solo com uma resolução de 0,9 a 1,1 a uma altitude orbital de 500 km. São munidos de uma propulsão a bordo para 3 anos. Os satélites são construídos pela Spaceflight Services e são baseados no modelo SCOUT.

Os satélites operacionais Block 2 são caracterizados pelas suas melhorias em relação aos pioneiros Block 1. Têm painéis solares maiores e podem produzir imagens em quatro bandas e em modo pancromático. Cada um pode produzir 1000 imagens por dia, quer em modo de fotografia, quer em modo de vídeo.

Dois novos satélites Galileo serão colocados em órbita a 3 de Dezembro, pelas 0027UTC. Os satélites Galileo-FOC FM24 ‘Shriya’ e Galileo-FOC FM25 ‘Nikolina’ serão lançados na missão VS26 por um foguetão Soyuz ST-B/Fregat-MT a partir do Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou, Guiana Francesa.

Com uma massa no lançamento de 733 kg cada e um tempo de vida útil de mais de 12 anos, os satélites Galileo são baseados na plataforma SmartMEO e são desenvolvidos pela OHB-System GmbH (plataforma) e pela SSTL (carga).

O satélite STPSat-6 será colocado em órbita a 5 de Dezembro pela United Launch Alliance. Esta será a missão AV-093 e será lançada por um foguetão Atlas-V/551 a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral SFS, Florida, às 0904UTC.

O STPSat-6 é um satélite experimental para o Space Test Program (STP) do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. É baseado na plataforma A-500 da Northrop Grumman Innovation Systems e irá transportar várias experiências para a órbita geoestacionária, sendo a experiência principal o SABRS-3 (Space and Atmospheric Burst Reporting System), que irá proporcionar a detecção de detonações nucleares e dados do ambiente espacial, sendo projectado para complementar os detectores de detonações nucleares a bordo dos actuais satélites GPS.

Nesta missão será também lançado o LDPE-1 (Long Duration Propulsive EELV Secondary Payload Adapter (ESPA)) que é um satélite experimental construído para o Air Force Space and Missiles Center (AFSMC) para transportar pequenas cargas e colocar pequenos satélites em órbita.

A 6 de Dezembro, pelas 2300UTC, deverá ser lançado desde o Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan um foguetão Kuaizhou-1A. Desconhece-se a carga a bordo.

A última missão espacial tripulada de 2021 deverá ser lançada às 0738UTC do dia 8 de Dezembro e irá transportar dois turistas espaciais até à estação espacial internacional. A Soyuz MS-20 será lançada por um foguetão Soyuz-2.1a a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. O voo foi contratado pela Space Adventures à Corporação Espacial Estatal Roscosmos e tem como objectivo apenas um voo de turismo comercial, não transportando qualquer elemento para a tripulação permanente da ISS. A missão terá uma duração de pouco mais de 12 dias.

A tripulação é composta pelo cosmonauta Alexander Misurkhin (Comandante, Rússia), e pelos turistas espaciais (ou participantes no voo espacial) Yusaku Maezawa (Japão) e Yozo Hirano (Japão). A tripulação suplente é composta por Alexander Skvortsov (Comandante, Rússia) e pelo turista espacial (ou participante no voo espacial) Shun Ogisu.

O satélite IXPE será lançado pela SpaceX às 0600UTC do dia 9 de Dezembro. O lançamento será levado a cabo por um foguetão Falcon-9 a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt – Florida.

O IXPE (Imaging X-Ray Polarimetry Explorer) é um observatório de raios-X dirigido pelo Centro de Voo Espacial Marshall da NASA em Huntsville, Alabama, com o objectivo de medir a polarização linear de objectos astronómicos com função da energia, tempo e, quando relevante, a sua posição para melhorar a compreensão da forma como as emissões de raios-X são produzidas em objectos tais como magnetars, pulsares isolados, ventos pulsantes de nébulas e restos de supernovas, microquasares, galáxias activas e buracos negros super massivos. O IXPE está equipado com ópticas de raios-X fabricadas no Centro de Voo Espacial Marshall e detectores de gás de plano focal fornecidos pela Itália.

O IXPE tem uma massa de 292 kg e é baseado na plataforma BCP-300 desenvolvida pela Ball Aerospace. O observatório deverá estar operacional durante dois ou três anos.

Os satélites de comunicações Ekspress-AMU 3 e Ekspress-AMU 7 serão lançados a 12 de Dezembro a partir do Cosmódromo de Baikonur. O lançamento está previsto para as 1209UTC e será levado a cabo por um foguetão Proton-M/Briz-M a partir da Plataforma de Lançamento PU-30 do Complexo de Lançamento LC200.

O Ekspress-AMU 3 e o Ekspress-AMU 7 serão utilizados para serviços de comunicações domésticas no território russo. Ambos os satélites foram construídos pela RSCC (Kosmicheskiya Svyaz), mas a carga de comunicações é fornecida pela Thales Alenia Space. Os satélites são baseados na plataforma Ekspress-1000 bus e estão equipados com 16 repetidores de banda Ku, 1 repetidor de banda L e 20 repetidores de banda C.

Os satélites têm uma vida útil de 15 anos na órbita geossíncrona a 96,5.° longitude Este (Ekspress-AMU 3) e 145.° longitude Este (Ekspress-AMU 7).

A ABL Space Systems deverá levar a cabo o lançamento inaugural do seu foguetão de baixo custo RS1 no dia 15 de Dezembro, pelas 0500UTC. O lançamento será realizado a partir da Plataforma de Lançamento LP-3C do Kodiak Pacific Spaceport Complex.

A bordo do RS1 estarão os satélites L2 Aerospace 1 e L2 Aerospace 2. Os dois satélites serão utilizados para testar novas tecnologias e apoiar actividades de treino, demonstrando uma rede de comunicações e arquitectura de redes única, além de testar aplicações de cibersegurança.

O telescópio espacial James Webb (JWST – James Webb Space Telescope) será colocado em órbita às 1220:07UTC do dia 18 de Dezembro. O lançamento será realizado pela Arianespace que utilizará um foguetão Ariane-5ECA+ que será lançada a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa. Esta é a missão VA257.

Em comparação com os observatórios actualmente existentes, o JWST terá a vantagem única de combinar uma excelente qualidade de imagem, um campo de visão relativamente grande e pouca luz de fundo com um ambiente operacional altamente estável. Estas são características muito importantes para as observações infravermelhas que o JWST precisará de realizar para ver as primeiras estrelas e galáxias.

O JWST foi desenvolvido pela Northrop Grumman e pela Ball Aerospace, tendo uma massa de 5.400 kg.

O satélite de comunicações Turksat-5B será colocado em órbita pela SpaceX no dia 19 de Dezembro. O lançamento será realizado por um foguetão Falcon-9 pelas 0358UTC a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral SFS, Florida.

Baseado na plataforma Eurostar-3000EOR, o satélite foi desenvolvido pela Airbus Defence and Space e pela Turkish Aerospace Industries (TAI). No lançamento tem uma massa de 4.500 kg e o seu tempo de vida útil é de 15 anos na órbita geossíncrona. Está equipado com cargas de comunicações HTPS de banda Ku e HTPS de banda Ka. O satélite será operado pela Türksat AS.

Um foguetão Angara-A5/DM-03 será lançado desde o Cosmódromo GIK-1 Plesetsk a 20 de Dezembro. O lançamento será efectuado a partir do Complexo de Lançamento LC35/1. O foguetão deverá transportar uma carga de avaliação do desempenho do lançador denominada IPM-3 que será colocada na órbita geossíncrona.

Uma nova missão logística será lançada pela SpaceX para a ISS às 1006UTC do dia 21 de Dezembro. O lançamento da cápsula Dragon SpX-24, na missão CRS-24, será efectuado por um foguetão Falcon-9 a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt – Florida.

O satélite de comunicações Inmarsat-6 F1 será lançado às 1433:52UTC do dia 21 de Dezembro pela Mitsubishi Industries. O lançamento será efectuado por um foguetão H-2A/204 a partir da Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinobu do Centro Espacial de Tanegashima.

Operado pela Inmarsat e desenvolvido pela Airbus Defence and Space, o Inmarsat-6 F1 é baseado na plataforma Eurostar-3000EOR e tem uma massa de 5.470 kg. A bordo transporta uma carga de comunicações de banda L e de banda Ka. O seu tempo de vida útil é de 15 anos.

O satélite Gao Guidao Shiyan Weixing (HOTS High Orbit Test Satellite) dev erá ser lançado pela China às 1030UTC do dia 22 de Dezembro. O lançamento será realizado por um foguetão Chang Zheng-7A a partir do Complexo de Lançamento LC201 do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang, província de Hainan.

Um novo grupo de 36 satélites OneWeb será colocado em órbita no dia 27 de Dezembro. O lançamento será levado a cabo por um foguetão Soyuz-2-1B/Fregat na missão ST37 lançada a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. A constelação OneWeb é uma constelação que deverá ser composta por 648 satélites para fornecer acesso à Internet em todo o globo para consumidores individuais e companhias aéreas, além de serviços a operadores marítimos, serviços de backhaul, comunidades de Wi-Fi, serviços de respostas de emergência, etc.

*Rui Barbosa: Nascido em Maio de 1971 e licenciado em Física Aplicada, desde cedo Rui Barbosa se interessou pela temática espacial. A 3 de Maio de 2001 inicia o Boletim Em Órbita dedicado à Astronáutica e Conquista do Espaço, o qual comemora o seu 20º aniversário. Actualmente, Rui Barbosa partilha a sua paixão pela Conquista do Espaço com as actividades de montanha.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter