Educação Integral: união escola família

 Educação Integral: união escola família

*Artigo de Thulio Fonseca – Vatican News

O Papa Francisco enviou nesta sexta-feira, 31 de maio, uma mensagem aos participantes do Congresso da APEL (Associação de pais de alunos do ensino livre), reunidos até o dia 2 de junho, em Valence, França, para trabalhar, refletir e trocar opiniões sobre sua missão a serviço da comunidade educacional.

Com mais de 1 milhão de membros, a APEL é a maior associação francesa de pais e a única reconhecida no Estatuto da Educação Católica.

A primeira APEL foi fundada em Marselha em 1930 por pais que queriam se envolver na vida escolar de seus filhos.

Por este motivo, todos os dias, milhares de voluntários estão ativamente envolvidos nos projetos educacionais das escolas, comprometidos com o futuro de 2 milhões de crianças cujos pais escolheram livremente uma escola e seu projeto educacional.

Aliança entre escola e família  

Na introdução do texto, o Papa afirma unir-se às reflexões do Congresso, pois os jovens e as famílias, ou seja, o presente e o futuro de nossas sociedades, estão no centro de sua atenção, e completa:

“Caros pais, vocês são de fato os protagonistas e os primeiros arquitetos da educação de seus filhos, mas essa tarefa requer a ajuda de toda a sociedade, a começar pela escola. Uma forte aliança entre escolas e famílias permite a transmissão de conhecimento e, ao mesmo tempo, a transmissão de valores humanos e espirituais.

Essa aliança educacional é, portanto, uma oportunidade de promover a educação integral do homem, a fim de garantir a construção de um mundo mais humano e assegurar sua dimensão espiritual. Em essência, trata-se de fazer com que os jovens descubram o plano de Deus para cada um deles.”

Os frutos da educação em vista de um futuro melhor

Segundo Francisco, “a comunidade escolar é um verdadeiro microcosmo aberto para o futuro“, que inclui aqueles que estão diretamente envolvidos no processo educacional, desde a gerência e a equipe administrativa até os professores e os pais.

Isso dá vida a uma comunidade que, com uma diversidade de papéis, mas com uma convergência de objetivos, tem as características de uma comunidade cristã e humana cimentada pela caridade“, continua o Pontífice, encorajando os pais a não se esquecerem da função pedagógica do tempo e a enfrentarem com coragem os desafios atuais:

“Vocês sabem, por experiência própria, que a educação não termina com o fim da escola: seus efeitos se manifestam ao longo da vida, permitindo que cada pessoa abrace as alegrias e as provações que a pontuam.

Assim como na parábola do grão de mostarda (cf. Mc 4:26-29), o trabalho dos pais e professores, difícil por ser delicado, se desenvolve ao longo das estações e tem a intenção de dar frutos inesperados no futuro.”

Discernimento e apoio da Igreja perante os desafios atuais

Na conclusão da mensagem, o Santo Padre recorda “o desafio imposto pela inteligência artificial” e como isso muda profundamente, além dos métodos de aprendizagem, a maneira como pensamos, e sublinha:

“Para enfrentar esse desafio, que diz respeito não apenas à ética, mas também à formação da inteligência e do discernimento de seus filhos, de toda a juventude, asseguro-lhes que a Igreja está ao seu lado.

Há aqui todo um trabalho de discernimento que eu os convido a fazer com toda a comunidade educativa e com a ajuda da Igreja, porque esse tipo de desafio não pode ser enfrentado sozinho!”

Por fim, o Papa expressa seu desejo de que estes dias de reflexão dedicados à “Educação para a Vida” levem os participantes da APEL a fazer da comunidade-escola uma verdadeira oficina de vida, “capacitando seus filhos a enfrentar um mundo difícil, mas iluminado pela esperança fundada nas promessas de Cristo que não decepciona“.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter