Dérbi regional termina em empate

Dérbi regional termina em empate

Formações voltaram a anular-se depois do empate na primeira volta

Em tarde fria, o Campo Nossa Senhora das Neves recebeu um intenso e quente dérbi entre duas das boas formações deste campeonato. A contar para a 13ª jornada, o segundo jogo desta segunda volta da Liga Churrasqueira da Quinta, trouxe novo empate (1-1), entre Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão, repetindo o resultado que se tinha verificado na primeira volta.

Apesar do empate final, a primeira parte foi praticamente de sentido único, com Vila Velha de Ródão a entrar muito imponente na partida, mostrando desde cedo que intenções trazia para a partida. As melhores oportunidades surgiram pelos pés de Braima, que falhou em frente à baliza, e por Afonso Gaspar, que viu o golo negado por Luís Pedro, e ainda Natalino, com uma grande resposta nas alturas a canto batido na esquerda. A espaços, Proença ia-se chegando à baliza adversária, com Pedro Queichinho a não mostrar a mesma confiança que o seu colega de posto. Criava-se perigo, que se veio a confirmar no segundo tempo. Primeiro, Elian enviou uma bola ao poste e na recarga Jota não conseguiu dar o melhor seguimento à jogada. Por volta do minuto 70, golo de João Henriques, cheio de oportunismo, aproveitando todas as suas capacidades de puro ponta-de-lança, aproveitou a confusão na área e cabeceou para o fundo das redes.

A vitória parecia já não fugir à equipa proencense, mas a verdade é que até final houve tempo para um penálti para os visitantes, justamente assinalado por mão na bola de Diogo André, aos 82 minutos. Luís Pedro levou a melhor e defendeu o penálti de Pibip, mas na recarga o defesa-central Tereso foi mais rápido e encostou para o fundo da baliza. O empate no marcador registou-se no final, tendo sido novamente assegurado por Luís Pedro, que voltou a fechar o caminho da baliza ao antigo jogador de Proença, Afonso Gaspar.

Declarações pós-jogo

Paulo Salgado, treinador de guarda-redes de Proença-a-Nova:” É um resultado que se ajusta ao que se passou ao longo dos 90 minutos. Duas equipas que proporcionaram um bom espetáculo e sempre com lances bem disputados. Fomos infelizes no momento em que sofremos o golo porque tínhamos o jogo praticamente controlado. Mão na área, é um lance casual, mas temos de aceitar. O Vila Velha tem bons executantes e em algumas alturas conseguiu equilibrar e até superiorizar-se, mas tudo o que não fosse menos que o empate para o Proença seria completamente injusto. Sou suspeito para falar no Luís Pedro, porque conheço-o há muitos anos e ele sabe o que penso dele, não me surpreende a forma como se tem exibido neste campeonato e hoje tem uma defesa verdadeiramente monstruosa que evita a derrota. Hoje há que dar os parabéns à equipa de arbitragem, que soube gerir muito bem o jogo e foi assertiva na maior parte das suas decisões ”

Davi Lima, capitão do CDRC VVR: “ Foi um bom jogo das duas equipas, viemos cá para garantir os três pontos. Não me lembro de muitas oportunidades para a equipa de Proença, pelo contrário acho que tivemos sempre oportunidades mais esclarecidas de golo. Se fosse para cair para um dos lados, teria de ser para nós. Queremos chegar o mais longe possível, mesmo sabendo que existem equipas com maiores orçamentos que nós, só queremos estar em cima e fazer o nosso jogo”.

Onze titular – Associação Desportiva e Cultural de Proença-a-Nova

Luís Pedro, João Salvado, Jivan Rodríguez, Miguel Farinha, Tonys, Diogo André, Jota, Elian Gamboa, Simon Cardenas, João Henriques.

Onze titular – Clube Desportivo Recreativo e Cultural de Vila Velha de Ródão

Pedro Queichinho, Barradas, Bruno Rafael, Tereso, Caldeira, Davi Lima, Braima, Pedro Carmo, Afonso Gaspar, Fortunato, Natalino.

Para si... Sugerimos também...

Subscreva a nossa newsletter