Cernache do Bonjardim volta a celebrar São Nuno de Santa Maria

 Cernache do Bonjardim volta a celebrar São Nuno de Santa Maria

De 25 a 28 de abril, está de regresso a Cernache do Bonjardim, concelho da Sertã, mais uma edição da Romaria a São Nuno de Santa Maria.

Promovida pela Câmara Municipal da Sertã em parceria com a União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, esta iniciativa assinala o 15.º aniversário da canonização de Nuno Álvares Pereira e contará também com a participação do movimento associativo da união de freguesias.

O programa de atividades é variado e decorrerá durante quatro dias, englobando as vertentes religiosa, histórica e popular.

“O programa deste ano foca com mais detalhe a vertente histórica e religiosa. Em termos de programação houve o cuidado de contemplar músicos oriundos especificamente da união de freguesias, assim como grandes nomes da música nacional. Pretendemos consolidar a Romaria, não apenas como ativo importantíssimo no âmbito do Turismo Religioso mas, sobretudo, para aproximar ainda mais a população a este filho da sua terra e importante figura da História Nacional”

refere Carlos Miranda, presidente da Câmara Municipal da Sertã

Do programa oficial, o autarca destaca ainda os momentos de recriação histórica, para os quais convida a população a associar-se ativamente, e às diferentes cerimónias religiosas (novena, procissões e eucaristia). Carlos Miranda referiu ainda que as vertentes histórica, religiosa e de animação estarão devidamente delineadas e decorrerão em espaços específicos. 

A Sessão Solene de abertura da Romaria a São Nuno de Santa Maria decorrerá no dia 25 de abril, às 18 horas, no auditório da sede da União de Freguesias, em Cernache do Bonjardim.

Nuno de Santa Maria (de seu nome Nuno Álvares Pereira) nasceu a 24 de junho de 1360 em Cernache do Bonjardim. Intrépido cavaleiro, foi autor de várias façanhas militares, tendo uma ação decisiva na marcante Batalha de Aljubarrota, onde se jogava a independência de Portugal. Figura central no reino, foi Condestável e um dos homens mais poderosos do país. Abdicou de todos os títulos e das vastas propriedades que detinha e entrou para o Convento do Carmo, em Lisboa, onde iniciou uma vida dedicada à caridade. Morreu no dia de todos os santos de 1431 e quase cinco séculos depois, mais precisamente em 1918, foi beatificado pelo papa Bento XV. Em 2009, o papa Bento XVI canonizou-o, lembrando uma “figura exemplar nomeadamente pela presença duma vida de fé e oração em contextos aparentemente pouco favoráveis à mesma, sendo a prova de que em qualquer situação, mesmo de carácter militar e bélico, é possível actuar e realizar os valores e princípios da vida cristã”.

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter