Academia PIEP: qualificar o setor dos plásticos

 Academia PIEP: qualificar o setor dos plásticos

O Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP), com a parceria da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, criou a Academia PIEP para qualificar o setor dos plásticos e dos polímeros em Portugal.

O objetivo é afirmar a competitividade e a visibilidade deste ramo de atividade, que tem 43 mil trabalhadores, 1150 empresas e oito mil milhões de euros de volume de negócios, cerca de 4% do Produto Interno Bruto.

O portal academia.piep.pt é a porta de entrada para responder às necessidades de formação, além de capacitar trabalhadores e jovens neste âmbito.

A iniciativa prevê formação avançada ao nível de pós-graduações e especializações, planos personalizados e modulares para empresas, formação certificada pela Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho, intercâmbios com centros científicos e universidades internacionais, além de learning factories, workshops, webinars, dias abertos, fóruns e ações junto do ensino secundário e universitário.

A primeira ação de formação, “Materiais poliméricos, extrusão e composição de polímeros”, começa a 20 de fevereiro e tem a duração de 28 horas.

Até junho há mais dez formações breves certificadas, nomeadamente sobre materiais termoplásticos, sustentabilidade ambiental, design, moldação por injeção, materiais compósitos, análise de falha e boas práticas no setor.

A Academia PIEP está sediada no campus de Azurém, em Guimarães, e pretende assim “dinamizar e responder a desafios de empresas e profissionais e dos jovens em percurso educativo, através de ações de re-skillup-skill e desenvolvimento pessoal”.

O PIEP é uma referência na área e reconhecido pelo Governo como Centro de Tecnologia e Inovação. Nasceu em 2000 através da indústria e em estreita ligação ao IAPMEI e à UMinho.

Apoia necessidades de I&D de empresas de diversos setores e chega também à sociedade, através da formação e criação de ferramentas e de tecnologias como uma cápsula espacial, uma mala inteligente, soluções para a alta velocidade e inovações com materiais sustentáveis, entre outras.

O Departamento de Engenharia de Polímeros da Escola de Engenharia da UMinho forma estudantes desde 1978, tendo no país a única licenciatura e mestrado da área e o primeiro doutoramento da área, além do curso de Engenharia Aeroespacial, cuja licenciatura tem a nota de acesso mais elevada em Portugal (18.86 valores).

A sua investigação é internacionalizada e está afeta ao Instituto de Polímeros e Compósitos, ao PIEP e à spin-off Stratosphere, que tem por exemplo projetos com a Agência Espacial Europeia e a Airbus.

Universidade do Minho

Para si... Sugerimos também...

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscreva a nossa newsletter